Juncker agradece ajuda de Costa em “crise dolorosa de ciática”

  • Lusa
  • 13 Julho 2018

O porta-voz da Comissão Europeia agradeceu ao primeiro-ministro português, pela ajuda prestada ao presidente Jean-Claude Juncker, quando este sofreu “uma crise particularmente dolorosa de ciática".

O porta-voz da Comissão Europeia agradeceu hoje publicamente ao primeiro-ministro português, António Costa, pela ajuda prestada ao presidente Jean-Claude Juncker na quarta-feira à noite, quando este sofreu “uma crise particularmente dolorosa de ciática”.

“Na noite de quarta-feira, o presidente [Juncker] sofreu uma crise particularmente dolorosa de ciática, acompanhada de cãibras. O presidente já disse publicamente que a ciática condiciona a sua a capacidade de andar, o que infelizmente foi o caso na noite de quarta-feira”, explicou Margaritis Schinas.

O porta-voz do executivo comunitário reagia assim às insistentes questões colocadas pelos jornalistas na conferência de imprensa diária da instituição, depois de, na quinta-feira, ter começado a circular nas redes sociais um vídeo no qual se pode ver Jean-Claude Juncker a ser amparado por diversos chefes de Estado e de Governo, entre os quais o primeiro-ministro português, António Costa, numa cerimónia incluída no programa oficial da cimeira da NATO.

“O presidente quer agradecer publicamente aos primeiros-ministros Mark Rutte [da Holanda] e António Costa pela ajuda naquele momento doloroso. O presidente está a tomar medicação e sente-se melhor”, asseverou.

Na quinta-feira, António Costa justificou o comportamento do presidente da Comissão Europeia com uma crise de ciática, em resposta à pergunta de um jornalista da agência Associated Press.

Numa conferência de imprensa dominada pelo episódio protagonizado por Jean-Claude Juncker, Margaritis Schinas negou que o presidente do executivo comunitário estivesse embriagado, justificando o seu cambalear com a referida crise de ciática.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Juncker agradece ajuda de Costa em “crise dolorosa de ciática”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião