Lucros da Navigator crescem 24%. Venda da unidade de pellets nos EUA ajuda as contas

  • ECO e Lusa
  • 25 Julho 2018

A evolução positiva dos preços permitiu compensar a perda de volume disponível para venda devido às paragens de manutenção prolongadas nas fábricas de Cacia e Figueira da Foz.

O resultado líquido da Navigator NVG 2,20% cresceu 24% no primeiro semestre do ano, atingindo os 119,4 milhões de euros, segundo os resultados comunicados à Comissão de Mercados de Valores Mobiliários (CMVM). A venda da unidade de pellets nos Estados Unidos ajudou a impulsionar os resultados da papeleira.

Segundo os dados da companhia, divulgados esta quarta-feira, o EBITDA (resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) cresceu 14% para 226 milhões de euros e o volume de negócios da Navigator totalizou 817 milhões de euros, 0,5% acima do semestre homólogo.

De acordo com a mesma informação, a evolução positiva dos preços permitiu compensar a perda de volume disponível para venda devido às paragens de manutenção prolongadas nas fábricas.

O endividamento líquido da empresa subiu para 740 milhões de euros após o pagamento de 200 milhões de dividendos no passado mês de junho e o valor de investimento cresceu para 77 milhões com o desenvolvimento dos novos projetos em curso em Cacia (Tissue) e na Figueira da Foz (Pasta).

A Navigator Company registou no primeiro semestre deste ano um volume de negócios de 817 milhões, o que representa um ligeiro aumento em relação ao primeiro semestre de 2017.

Com vendas de 604 milhões, o segmento de papel representou 74% do volume de negócios, a energia 10% (84 milhões), a pasta cerca de 9% (73 milhões) e o negócio de tissue 5% (40 milhões).

O primeiro semestre deste ano ficou marcado pela venda da unidade de pellets nos Estados Unidos que impulsionou o EBITDA da Navigator em 13 milhões de euros no primeiro semestre, mas também pela evolução favorável dos preços do papel UWF, pasta BEKP e Tissue e pelos menores volumes disponíveis para venda devido essencialmente às paragens de produção ocorridas ao longo do período, que não se verificaram no semestre homólogo.

No negócio de pasta, para além da paragem de manutenção ocorrida na fábrica de Setúbal no primeiro trimestre, ocorreu, já em abril, uma paragem na fábrica da Figueira da Foz para manutenção, que se prologou para permitir a conclusão do projeto de aumento de capacidade instalada em curso.

“O elevado número de dias de paragem, assim como a necessidade de constituição de stocks nos meses anteriores, condicionaram fortemente a disponibilidade de pasta para venda no Grupo durante este semestre”, recorda a empresa.

O elevado número de dias de paragem, assim como a necessidade de constituição de stocks nos meses anteriores, condicionaram fortemente a disponibilidade de pasta para venda no Grupo durante este semestre.

Comunicado da Navigator

Deste modo, as vendas da Navigator situaram-se em 114 mil toneladas, 37,5% abaixo do volume registado no primeiro semestre de 2018. A diminuição do volume foi parcialmente compensada pelo aumento do preço de venda, pelo que as vendas em valor refletem uma redução de 21%, para cerca de 73 milhões.

No negócio do papel, as vendas de UWF totalizaram 756 mil toneladas, situando-se 2% abaixo do semestre homólogo, “essencialmente devido a desvios na produção que resultaram de algumas paragens não programadas, assim como da necessidade de reconstituição de stocks de forma a assegurar um bom nível de serviço ao cliente”.

Segundo a Navigator, a evolução positiva do preço permitiu compensar a redução nos volumes vendidos, pelo que as vendas em valor cresceram 3,3% para 604 milhões.

No negócio de tissue, verificou-se um ajustamento em alta do preço médio de venda face ao período homólogo de 2017 (+7,6%) e o volume de vendas situou-se em 28,5 mil toneladas, crescendo 1,6% acima do volume do semestre homólogo.

“O aumento do preço médio do tissue não foi, no entanto, suficiente para absorver o agravamento nos custos de produção, em particular do preço da pasta (hardwood e softwood) e dos químicos”, explica a empresa, acrescentando: “Em meados de maio, ocorreu o arranque da primeira linha de transformação da nova fábrica de Cacia, devendo a linha de produção de bobines iniciar a sua produção durante o mês de agosto”.

No negócio de energia verificou-se uma recuperação no segundo trimestre no valor das vendas de energia elétrica, o que conduziu no total do semestre a um ligeiro aumento de 0,2%, face ao primeiro semestre do ano anterior (84,3 milhões).

A produção bruta total de energia elétrica no final do primeiro semestre de 2018 registou uma redução de 2,5% face ao período homólogo, que resultou sobretudo das paragens programadas das fábricas de pasta, tendo no entanto atingido o valor de 1,09 TWh.

Título da Navigator seguem em alta

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lucros da Navigator crescem 24%. Venda da unidade de pellets nos EUA ajuda as contas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião