Tesla “troca” carros elétricos por surf. Pranchas de 1.500 dólares esgotam num fim de semana

Durante o fim de semana, as pranchas de surf da Tesla foram a grande novidade no loja virtual da empresa. Cada uma custava 1.500 dólares, mas não foi impedimento para que depressa esgotassem.

Se ouvir dizer “Tesla”, é provável que as primeiras palavras que lhe vêm à cabeça sejam “carros elétricos”. No entanto, a empresa liderada pelo milionário Elon Musk surpreendeu no passado fim de semana ao usar a sua loja virtual para vender… pranchas de surf. A quantidade era limitada e, apesar de não ser esta a área de especialidade da empresa, o produto esgotou imediatamente.

Pouco depois de terem sido anunciadas no site, as 200 pranchas de surf disponíveis foram vendidas. Cada uma custava 1.500 dólares, o equivalente a cerca de 1.286 euros, um valor que dificilmente vai contribuir de forma significativa para as receitas da Tesla, segunda avança a Sky News.

As pranchas de surf fizeram parte de uma campanha promocional, uma parceria de edição limitada com uma empresa chamada Lost Surfboards.

Se pudessem existir dúvidas quanto à forma como os veículos Tesla poderiam transportar as pranchas, a empresa esclareceu, dizendo que os Modelos S, X e 3 podem “acomodar confortavelmente esta prancha de surf no interior ou no exterior do veículo”.

Alguns rumores apontam para o facto de a empresa não estar a conseguir atender aos pedidos dos clientes. Rajvindra Gill, analista de mercado, afirmou mesmo que 24% das encomendas do Modelo 3 foram canceladas por compradores mais impacientes. No entanto, a Tesla negou a notícia. Ainda assim, as dificuldades que a empresa tem enfrentado desencadearam o corte de 9% do seu pessoal assalariado em todo o mundo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Tesla “troca” carros elétricos por surf. Pranchas de 1.500 dólares esgotam num fim de semana

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião