Mota-Engil entra na Argentina com contrato de construção e concessão de autoestrada

  • ECO
  • 1 Agosto 2018

A construtora participa em 33% num consórcio que obteve um contrato para construir e ser concessionária de 247 quilómetros de autoestrada. Os trabalhos de construção superam os 900 milhões de euros.

A Mota-Engil, através de um consórcio no qual detém uma participação de 33%, entrou agora num novo mercado, o argentino. O consórcio será responsável pela construção e concessão de uma autoestrada em Buenos Aires. Segundo informou a empresa num comunicado enviado à Comissão de Mercado dos Valores Mobiliários, a autoestrada inclui também a ligação entre a capital argentina e o aeroporto.

A extensão de autoestrada em causa tem 247 quilómetros, e os trabalhos de construção em causa excedem, em valor, os 900 milhões de dólares, ou seja, os 771 milhões de euros. A construtora portuguesa vai assim participar na concessão que terá uma vigência de 15 anos. Muito do trabalho de construção em causa é de alargamento de vias e reabilitações, e os trabalhos mais significativos durarão até cinco anos.

O Governo da Argentina criou um trust para assegurar o pagamento por disponibilidade. O Governo irá receber os impostos sobre combustíveis e parcialmente os rendimentos de algumas portagens, embora deva suprir insuficiências que se possam vir a verificar.

A concessão Público-Privada está enquadrada numa tipologia que se insere nas negociações entre a Argentina e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mota-Engil entra na Argentina com contrato de construção e concessão de autoestrada

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião