Riscos geopolíticos abrandam. Preço do petróleo deverá baixar até ao fim do ano

  • ECO
  • 6 Agosto 2018

A produção de petróleo deverá diminuir ligeiramente até ao final deste ano e os preços poderão estabilizar. Em 2019 prevê-se que caiam ainda mais.

Os preços do petróleo deverão começar a cair até ao final deste ano. Isto porque os riscos gerados pelo contexto geopolítico, que têm motivado a subida dos preços da matéria-prima, deverão diminuir nos próximos meses, levando o barril de Brent, o petróleo negociado em Londres, a cair para uma média de 72 dólares.

Os cálculos são da Euler Hermes, seguradora especializada em seguros de créditos, que antecipa que “o risco agravado pelas condições geopolíticas poderá diminuir assim que os fluxos de mercado se tornarem mais percetíveis, o que indica que o pico dos preços poderá começar a decrescer”.

O barril de Brent negoceia, por esta altura, na casa dos 73 dólares, o que representa já uma quebra face aos valores que chegou a alcançar este ano. Em maio, a matéria-prima superou a fasquia dos 80 dólares por barril, o valor mais alto desde novembro de 2014. Nessa altura, a oferta dava sinais de recuo, com a quebra da produção no Irão e na Venezuela, enquanto a procura se mantinha forte.

“A eventual dupla diminuição da produção do Irão e da Venezuela poderia representar o maior desafio para os produtores, que teriam de evitar a abrupta subida dos preços e compensar as quedas daqueles países. E não se trata só de números de barris, mas de qualidade”, alertava, então, a Agência Internacional de Energia (AIE), no relatório mensal de maio.

A Euler Hermes antecipa agora que a produção mundial de petróleo deverá reduzir-se, até ao final deste ano, em 500 barris por dia. Ao mesmo tempo, o apetite dos investidores deverá desviar-se para mercados menos “bullish” do que o do petróleo. Por fim, os atuais preços elevados do petróleo deverão restringir a procura, o que, por sua vez, levará a uma descida dos preços.

Por todos estes fatores, a seguradora prevê que “o pico” dos preços deverá ficar para trás. Assim, o barril de Brent negociará a uma média de 72 dólares até ao final do ano, atingindo os 80 dólares num cenário de bull market e os 67 dólares num cenário de bear market.

Já em 2019, os preços deverão cair ainda mais, atingindo uma média de 69 dólares por barril. Isto assumindo que o PIB mundial aumenta 3,1% nesse ano e que o dólar valorizar 2,5%.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Riscos geopolíticos abrandam. Preço do petróleo deverá baixar até ao fim do ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião