Diretor-geral do grupo Eleven Sports tem “certeza que vai haver um acordo” com operadoras

  • Lusa
  • 9 Agosto 2018

A Nowo, que fez uma parceria com a Eleven Sports, é quem está a negociar com as outras três operadoras de telecomunicações os direitos de transmissão de vários campeonatos.

O diretor-geral do grupo Eleven Sports, Danny Menken, disse esta quinta-feira à Lusa que “de certeza que vai haver um acordo” entre a Nowo e a Meo, NOS e Vodafone para a distribuição de conteúdos desportivos nas suas plataformas.

“Sei que há muito interesse da parte deles [Meo, NOS e Vodafone], de certeza que vai haver um acordo, são negociações comerciais”, afirmou Danny Menken à margem de um encontro com jornalistas, em Lisboa, no dia em que a Eleven Sports arrancou no Reino Unido e na Irlanda.

É a Nowo que está a negociar com as três operadoras de telecomunicações os direitos de transmissão da ‘Champions’, como também dos campeonatos de Espanha (LaLiga) e França (Ligue 1), entre outros.

“Acredito que não vai demorar muito tempo” para haver um acordo, disse, em vésperas de a Eleven Sports arrancar no mercado português, o que acontece na próxima semana.

“Estamos muito contentes com a nossa parceria” com a Nowo, acrescentou Danny Menken, destacando que a operadora vai lançar a “box IPTV” que vai permitir “a todos no país ver os canais da Eleven” Sports.

Em entrevista à Lusa na semana passada, o presidente executivo da Sport TV, Nuno Ferreira Pires, afirmou que a “concorrência saudável” é boa para o setor em Portugal, pelo que dava “as boas-vindas” à Eleven Sports em Portugal.

Instado a comentar, Danny Menken afirmou ser “bom ouvir” as boas-vindas da parte da concorrência. O diretor-geral do grupo manifestou “expectativas bastante altas” para o mercado português, embora não tenha avançado metas em termos de número de subscritores.

“Queremos chegar ao maior número de fãs”, disse, salientando que a Eleven Sports entra no mercado com uma proposta muito competitiva. Portugal tem “uma situação monopolista” e o mercado “está a chamar por nós” porque “as pessoas têm de pagar muito” para ver conteúdos desportivos, acrescentou. “Estou muito positivo em relação ao futuro”, concluiu.

Por sua vez, Pedro Mendonça Pinto, diretor não executivo da Eleven Sports em Portugal, garantiu não haver “qualquer animosidade com a Sport TV”, mas antes que irá existir “uma rivalidade saudável”, o que considerou ser “bom para o mercado”.

“Temos a nossa estratégia, não estamos dependentes do que a Sport TV faz ou não faz“, acrescentou. O objetivo da Eleven Sports é conquistar a maior percentagem do mercado possível e competir com o mercado da televisão paga de conteúdos desportivos em Portugal.

Pedro Mendonça Pinto adiantou que nome do diretor executivo da Sport TV em Portugal “já está escolhido” e que será revelado em breve.

Na sequência do acordo de transmissão da ‘Champions’, a TVI também vai gerir a publicidade da Eleven Sports durante um ano. “É um contrato de um ano, que é o mesmo tempo da ‘Champions'”, afirmou Pedro Mendonça Pinto.

“A parceria com a TVI também vai criar oportunidades de programação em conjunto, de ter caras da Eleven nos programas da TVI e de criarmos conteúdos em conjunto”, salientou.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Diretor-geral do grupo Eleven Sports tem “certeza que vai haver um acordo” com operadoras

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião