Estado deixou nas mãos da Lone Star coleção de arte do Novo Banco

  • ECO
  • 10 Agosto 2018

Em causa estão 50 milhões de euros, incluindo pintura, fotografia e moedas raras, património de que Portugal terá abdicado na venda aos novos dono do banco.

Cerca de 50 milhões de euros em moedas raras, fotografias contemporâneas, pintura, mapas portulanos e livros quinhentistas. Este é o valor do espólio de que Portugal terá abdicado na venda do Novo Banco aos americanos do fundo de investimento Lone Star, avança o Público (acesso condicionado) na edição desta sexta-feira.

O jornal cita os números inscritos no balanço do Novo Banco, que representam 5% dos mil milhões de euros que a Lone Star injetou para ficar com 75% do banco que resultou da resolução do BES, em agosto de 2014.

É salientado o facto de o Estado português não ter optado por ficar com esse património, apesar da sugestão de Ricardo Salgado ao supervisor — o Banco de Portugal — no sentido da aquisição desta coleção. Opção que a entidade liderada por Carlos Costa não deu seguimento “depois de receber pareceres negativos”, adiantou ao Público um quadro do Banco de Portugal.

Hoje, depois de o banco passar para os norte-americanos, caso o Executivo de António Costa quisesse reforçar o património cultural do Estado português com as várias coleções do Novo Banco, seria mais difícil, pois já há valorizações no balanço da instituição, explica o diário.

O Fundo de Resolução, o vendedor do Novo Banco, liderado por Luís Máximo dos Santos, constata agora que se “estes ativos fossem retirados do balanço do Novo Banco, teria que existir a devida compensação” e esta “situação não foi prevista nas negociações de venda ao Lone Star” rubricadas em novembro de 2017.

O jornal explica que esse património só pode ser vendido para fora de Portugal com autorização do Estado, mas que não há impedimento à venda se ficarem no país.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Estado deixou nas mãos da Lone Star coleção de arte do Novo Banco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião