CMVM está a acompanhar com “especial atenção” negociação da Navigator

  • Lusa
  • 13 Agosto 2018

A Navigator está a ser penalizada pela taxa que os EUA anunciaram que vão aplicar sobre as vendas de papel. Analistas esperam que perdas se mantenham até o conflito estar resolvido.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) está a acompanhar com “especial atenção” o comportamento dos títulos da Navigator, depois de a papeleira portuguesa ter chegado esta manhã a cair mais de 18% na bolsa portuguesa.

“A CMVM, no âmbito das suas competências de supervisão, irá continuar a acompanhar com especial atenção o comportamento deste título”, disse à agência Lusa fonte oficial do supervisor.

Esta manhã, a Navigator chegou a cair 18,2%, a maior queda percentual de sempre, para 4,08 euros, depois de ter avançado que vai contestar judicialmente a taxa sobre vendas de papel aplicada pelos EUA. Pelas 11:50 estava a recuar 10,55% face ao dia anterior, para 4,46 euros.

Carla Maia Santos, analista da XTB, disse à Lusa que será possível “continuar a assistir à fuga dos investidores da empresa”, enquanto não houver um “fecho do tema”, ou seja, enquanto a reclamação da Navigator contra as taxas dos EUA não ficar concluída. A analista salienta que a Altri (cotada que também é do setor do papel) está a acompanhar o movimento negativo (a cair 2,90% para 8,71 euros pelas 11:50), “com os investidores receosos com o setor”.

Mesmo a recente valorização do dólar não está a conseguir manter os investidores no setor do papel. Uma vez que estas empresas estão muito expostas ao mercado norte-americano, uma valorização do dólar tem impacto cambial positivo nas receitas”, afirma Carla Maia Santos.

Além disso, acrescenta, o “fraco volume de negociações na bolsa portuguesa, neste mês de agosto, faz com que uma notícia tenha muito mais impacto no mercado, fazendo com que os movimentos sejam muito mais drásticos”.

Recorde-se que, na sexta-feira, a Navigator anunciou que vai contestar judicialmente a taxa aplicada pelos Estados Unidos sobre as suas vendas naquele país, que tem um impacto de milhões de euros nas contas da empresa portuguesa.

Segundo as contas da Navigator, a nova taxa antidumping tem um impacto de cerca de 66 milhões de euros no EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) e de 45 milhões de euros nos lucros líquidos deste ano.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CMVM está a acompanhar com “especial atenção” negociação da Navigator

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião