Minor International reforça no capital do grupo hoteleiro espanhol NH

  • Lusa
  • 13 Agosto 2018

Com a nova aquisição de ações, o grupo tailandês passa a deter 35,68% do capital do espanhol NH. O Minor tem ainda prevista mais uma operação de compra, acordada com o grupo chinês HNA.

O grupo tailandês Minor International, proprietário da Tivoli Hotels & Resorts, anunciou esta segunda-feira ter comprado mais 0,1275% do capital cadeia hoteleira NH, ao preço de 6,295 euros por ação.

Com esta aquisição de 500.000 ações, comunicada à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV) de Espanha, o Minor – através da sua filial MHG Continental Holding – passa a deter 35,68% do capital (correspondente a cerca de 140 milhões de ações) do grupo espanhol NH, que está presente em Portugal e é apontado como “a sexta maior cadeia de hotéis do mundo”.

O grupo tailandês Minor recebeu em 19 de julho ‘luz verde’ do regulador dos mercados espanhol e da Autoridade da Concorrência portuguesa à Oferta Pública de Aquisição (OPA) que lançou sobre a NH, tendo a operação sido também aprovada, na quinta-feira, pelos acionistas da Minor International numa assembleia-geral extraordinária realizada em Banguecoque.

Na passada sexta-feira, o Minor tinha já anunciado a compra, a 6,3 euros por ação, de 5,736% do capital social da NH a fundos geridos pelar Oceanwood, por 41,7 milhões de euros, o que lhe permitiu passar a controlar mais de 30% do capital da cadeia espanhola e fez com que, legalmente, a OPA se tornasse obrigatória.

O Minor tem ainda acordada com o grupo chinês HNA a compra de mais 8,4% da NH, numa operação a concretizar a partir do dia 20 e que elevará a sua participação no capital da cadeia espanhola para 43,95%.

Se a OPA do Minor for bem-sucedida, o grupo resultante da operação assumir-se-á como a 19.ª companhia hoteleira do mundo em termos de capacidade, com um total de 79.734 quartos.

O Minor tem previsto manter a sede social e corporativa da NH em Espanha e já anunciou pretender que a companhia continue cotada na bolsa espanhola.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Minor International reforça no capital do grupo hoteleiro espanhol NH

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião