Lisboa, Porto, Aveiro e Minho entre as 500 melhores universidades do mundo

  • ECO
  • 15 Agosto 2018

No "ranking de Xangai", das 500 melhores universidades do mundo, a Universidade de Coimbra ficou de fora, pela primeira vez em seis anos, por apenas nove décimas.

Há motivos para as universidades nacionais ficarem contentes. As instituições de Lisboa, Porto, Aveiro e Minho estão entre as 500 melhores do mundo, de acordo com o Academic Ranking of World Universities 2018 (conteúdo em inglês). Contudo, pela primeira vez em seis anos, a Universidade de Coimbra ficou de fora, por apenas nove décimas.

O ranking ordena as universidades por posições até ao centésimo lugar, dispondo-as em intervalos a partir daí. Contudo, é possível calcular as classificações das instituições nacionais: a melhor classificada foi a Universidade de Lisboa, na 186.ª posição, seguida da Universidade do Porto, em 378.º lugar. Atrás surge a Universidade do Aveiro, em 465.º e, por fim, a Universidade do Minho, em 480.º.

A Universidade de Lisboa — que resulta da fusão entre a Clássica e a Universidade Técnica –, apareceu nesta lista pela primeira vez em 2014. Em 2013, de acordo com o Público (acesso condicionado), a Clássica tinha ficado no intervalo 301-400 e a Técnica no 401-500. No ano passado, a “nova” universidade passou para o intervalo 151-200, mantendo-se este ano neste patamar.

Por sua vez, pela primeira vez desde que entrou para este ranking (2013), a Universidade de Coimbra ficou de fora. No ano passado, a instituição classificou-se no último intervalo (401-500) mas, este ano, desceu oito décimas no tópico relacionado com o número de publicações nas revistas e uma décima no indicador que avalia a performance per capita, tendo em conta o número de professores a tempo inteiro.

“Embora constitua sempre um sinal de preocupação, a oscilação registada é muito pequena e, por isso, estou convencido que está ao nosso alcance regressarmos, já no próximo ano, ao top 500″, disse o reitor, João Gabriel Silva, ao Público. Contudo, não deixou de se mostrar “surpreendido”.

As cinco “melhores” universidades do mundo, de acordo com o ranking de Xangai, são a Universidade de Harvard, a Universidade de Stanford, a Universidade de Cambridge, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts e a Universidade da Califórnia, Berkeley. Contrariamente, nas cinco posições mais baixas estão a West Virginia University, Wayne State University, Waseda University, Vita-Salute San Raffaele University e a Utah State University.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lisboa, Porto, Aveiro e Minho entre as 500 melhores universidades do mundo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião