Semapa destaca “o estilo único de liderança” de PQP

  • Lusa e ECO
  • 19 Agosto 2018

O Conselho de Administração da Semapa expressou hoje o “mais profundo pesar” pela morte do empresário Pedro Queiroz Pereira.

O Conselho de Administração da Semapa expressou hoje o “mais profundo pesar” pela morte do empresário Pedro Queiroz Pereira, que classificou como uma “referência” no meio industrial, em informação remetida ao mercado.

“O Conselho de Administração da Semapa expressa, com muita tristeza, o seu mais profundo pesar pelo falecimento de Pedro Mendonça De Queiroz Pereira, principal acionista do grupo e presidente do Conselho de Administração”, lê-se no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com a Semapa, o empresário foi “uma referência” no meio industrial, com “raras qualidades humanas e profissionais e um notável espírito empresarial”.

A empresa destacou ainda “o estilo único de liderança” de Queiroz Pereira, que foi pautado por uma “gestão de rigor, que permitiu expandir e internacionalizar de forma sustentável” o grupo.

“Mais do que um património, Pedro Queiroz Pereira deixa […] força numa estrutura empresarial […], mas principalmente valores como coragem, independência, frontalidade e honestidade, com que sempre geriu as suas empresas e que deixa como legado a todos os mais de 6.000 colaboradores da Semapa e das suas participadas Navigator, Secil e ETSA”, concluiu.

O empresário Pedro Queiroz Pereira, um dos mais importantes de Portugal, dono da Navigator (antiga Portucel) e da cimenteira Secil morreu este sábado, aos 69 anos.

Segundo a revista Exame, era detentor de uma fortuna avaliada em 779 milhões de euros (em conjunto com a mãe), o que fazia dele o sétimo mais rico do país.

Acionista maioritário do grupo Semapa, proprietário da Navigator, mas também da cimenteira Secil e de negócios na área do ambiente e da energia.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Semapa destaca “o estilo único de liderança” de PQP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião