Rejeitada reunião extraordinária sobre crise da ferrovia. Presidente da CP vai ao Parlamento dia 4

A reunião extraordinária da comissão permanente pedida pelo CDP-PP para debater a crise da ferrovia foi chumbada. Ainda assim, o presidente da CP vai ao Parlamento na próxima semana.

O pedido do CDS-PP para a realização de uma reunião extraordinária da comissão permanente para debater a crise da ferrovia foi rejeitado, esta segunda-feira, na Conferência de Líderes. “O PS disse que não havia urgência nesta matéria e os outros partidos que apoiam a maioria entenderam que essa questão não teria de ser discutida já esta semana. A proposta teve unicamente o apoio do PSD e portanto não teve acolhimento e não foi aprovada”, adiantou o líder parlamentar Telmo Correia, em declarações aos jornalistas transmitidas pela SIC Notícias.

De acordo com o CDS-PP, a atual situação da ferrovia está a tornar-se “insustentável” para milhares de portugueses, daí a necessidade de debater esta matéria. “Esta questão beneficiaria de ter uma reunião específica e ainda esta semana”, sublinhou o deputado, considerando por isso um “erro” o chumbo deste pedido.

“Os problemas da ferrovia nacional, mais do que serem discutidos à pressa, precisam de ser discutidos de forma aprofundada“, ripostou, por sua vez, o comunista João Oliveira. O líder parlamentar do PCP acusa o CDS-PP de querer fazer “uma discussão apressada”, porque agora “lhe pesarem às costas as responsabilidades” por terem votado contra as propostas apresentadas pelos comunistas, em junho.

O bloquista Rui Filipe Soares sublinhou ainda que “curiosamente são as forças de oposição ao investimento na ferrovia” que estão a propor agora esta discussão. O Bloco de Esquerda acusa, nesse sentido, o CDS-PP de ter como intenção trazer à discussão a privatização da ferrovia.

Fernando Negrão, por sua vez, salientou que tem sido feito o caminho para a destruição da Comboios de Portugal (CP) “Tudo isto está a ser posto em causa pelas políticas do Governo”, criticou o deputado do PSD, referindo “políticas de desinvestimento”.

Por outro lado, o líder parlamentar do PS considerou que este é um dossiê que devia ser abordado pelo CDS com “algum pudor”, já que este partido contribuiu para o estado de crise atual da ferrovia.

Presidente da CP no Parlamento a 4 de setembro

O Presidente da Comboios de Portugal vai ser ouvido pela comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas, na próxima terça-feira, dia 4 de setembro. De acordo com a informação disponibilizada na página da Assembleia da República, Carlos Gomes Nogueira vai ser questionado pelos deputados sobre os efeitos da travagem do investimento dos últimos anos, numa altura em que a empresa atravessa um período particularmente difícil.

Nos últimos tempos, os utentes e responsáveis têm apresentado queixas sobre pela diminuição do número de carruagens e de comboios, atrasos, composições velhas, avarias frequentes, estações encerradas, falta de segurança e de investimento na ferrovia.

Importante notar ainda que o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, estará na comissão permanente da Assembleia da República agendada para 06 de setembro para debater a situação da ferrovia, de acordo com o discutido na conferência de líderes extraordinária desta segunda-feira.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Rejeitada reunião extraordinária sobre crise da ferrovia. Presidente da CP vai ao Parlamento dia 4

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião