Mota-Engil vence dois contratos da Petrobras no Brasil

  • ECO
  • 31 Agosto 2018

A subsidiária brasileira da Mota-Engil venceu dois contratos de construção e montagem de plataformas da Petrobras. Valor total é de cerca de 135 milhões de euros.

A subsidiária da Mota-Engil EGL 2,15% no Brasil ganhou dois novos contratos para construção e montagem de plataformas offshore da Petrobras, num total de 135 milhões de euros.

Num dos contratos assinados com a petrolífera brasileira, a Empresa Construtora Brasil (ECB), detida em 50% pela construtora brasileira, apresentou a proposta mais com o preço mais baixo e vai realizar obras de arruamento no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí, no valor de cerca de 30 milhões de euros, de acordo com o site especializado Click Petróleo e Gás.

No segundo contrato, no valor de 105 milhões de euros, a Petrobras adjudicou à ECB um lote de construção com um prazo de execução de quatro anos, revelou esta sexta-feira o Jornal de Negócios (acesso condicionado). Apesar de ter assinado este contrato, a subsidiária da Mota-Engil tinha ficado em segundo lugar no concurso, mas as regras ditam que cada empresa só pode ganhar um lote, segundo o mesmo jornal.

Contactada pelo jornal português, a Mota-Engil não quis comentar estes negócios. Esta sexta-feira, a empresa chegou a registar ganhos na bolsa, depois de ter apresentado um crescimento nos lucros esta quinta-feira. No entanto, está agora a derrapar 1,61%, com as ações da construtora a cotarem nos 2,76 euros.

Segundo o Negócios, as grandes construtoras brasileiras encontram-se envolvidas no complexo caso Lava Jato, que investiga suspeitas de corrupção, e estão impedidas por lei de fechar contratos com a Petrobras. Isso tem sido visto como uma oportunidade para empresas estrangeiras, que procuram concorrer a estes contratos no mercado brasileiro.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mota-Engil vence dois contratos da Petrobras no Brasil

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião