A tarde num minuto

Não teve tempo de ler as notícias esta tarde? Fizemos um best of das mais relevantes para que fique a par de tudo o que se passou, num minuto.

Mês após mês, os juros oferecidos pelos bancos nas aplicações a prazo caem. A dimensão da descida já não impressiona, mas a taxa sim. Está dez vezes abaixo da inflação esperada para 2019. Resultado de uma forte procura, quer doméstica quer internacional, e de escassez da oferta, os preços das casas em Portugal deverão aumentar 9,5% este ano.

Poupar? Cada vez mais, os portugueses estão a preferir gastar. Gastam as poupanças, mas também mais o dinheiro que não têm — prova disso são os recordes no crédito, seja à habitação, seja ao consumo. E uma das razões para não estarem a amealhar é a baixa atratividade dos juros oferecidos no produto preferido — os depósitos a prazo. Mês após mês, os juros oferecidos pelos bancos renovam mínimos, estando já dez vezes abaixo daquela que é a taxa de inflação estimada para o próximo ano.

Os preços das casas em Portugal deverão aumentar 9,5% este ano, prevê a S&P. A confirmar-se esta estimativa, Portugal será, a par da Irlanda, o país europeu com o aumento mais acentuado dos preços do imobiliário, entre os dez que são analisados pela agência de notação financeira norte-americana.

As empresas públicas de transporte ferroviário portuguesa e espanhola assinaram, esta segunda-feira, em Madrid um protocolo de cooperação para a CP alugar em 2019 quatro comboios a gasóleo e uma primeira unidade elétrica.

A britânica Eleven Sports já tem um líder e representante em Portugal. Jorge Pavão de Sousa foi nomeado pela empresa para o cargo de diretor-geral, depois de ter desempenhado funções de líder do departamento de TV da Vodafone em Londres, onde esteve “nos últimos dois anos”, de acordo com um comunicado enviado pela concorrente da Sport TV.

Onde estava quando o Lehman Brothers faliu? Cristina Casalinho trabalhava na altura no BPI em Lisboa e conta ao ECO que embora a queda do banco não fosse uma novidade total, as coisas mudaram naquele dia. As reuniões de gestão da crise duraram meses. O Lehman Brothers, um banco americano com 158 anos, colapsou a 15 de setembro de 2018, provocando uma onda de choque nos mercados financeiros mundiais. A expressão “too big to fail” (demasiado grande para cair) deixou de fazer sentido.

Comentários ({{ total }})

A tarde num minuto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião