Negrão ataca cativações de Costa na Universidade de Verão do PSD

Fernando Negrão, líder parlamentar do PSD, fez mira à cativações do Governo, alertando que estão a ter "consequências nefastas" na saúde, educação e transportes públicos.

O PSD alertou que as cativações impostas pelo Governo “têm tido consequências nefastas nos serviços públicos”, nomeadamente na saúde, na educação e nos transportes públicos. A ideia foi uma das bandeiras do discurso do líder parlamentar, Fernando Negrão, na Universidade de Verão do partido esta segunda-feira, que também pediu ao primeiro-ministro que trave o “ambiente de eleitoralismo” que diz viver-se no país, porque este retira o “rigor e responsabilidade” necessários à discussão do Orçamento do Estado para 2019.

“Temos um Governo que aprova um Orçamento do Estado que diz sempre que é anti-austeridade. Mas, depois, na sua execução, tem cativado as verbas com complacência do BE e do PCP, o que nos deixa sempre de boca aberta”, disse o social-democrata. “Temos um Governo que ocupa os três lugares no pódio das maiores cativações de sempre”, acrescentou, referindo-se aos anos de 2016, 2017 e 2018. “É isto que o Governo faz”, frisou.

É este o Governo que nós temos e isto tem tido consequências nefastas nos serviços públicos. E quais são os serviços pub mais atingidos? A saúde, a escola pública e os transportes públicos.

Fernando Negrão

Líder parlamentar do PSD

Fernando Negrão manteve o ataque às cativações e aos parceiros do Governo que as permitem, mesmo num contexto em que, na visão do PSD, o Executivo não as concretiza. “É incrível como é que diz que sim às propostas do BE, diz que sim às iniciativas do PCP, não concretiza quase nenhuma e o PCP e o BE mantêm-se em silêncio. Ou, de vez em quando, combinados com o próprio PS, dizem que as coisas não estão a correr conforme entendiam”, criticou o líder parlamentar do PSD, em declarações transmitidas pela RTP 3.

“É este o Governo que temos e isto tem tido consequências nefastas nos serviços públicos”, continuou Fernando Negrão. Terminou o discurso de abertura da Universidade de Verão do PSD, que decorre em Castelo de Vide (Portalegre), até domingo, indicando quais as áreas que, na visão do PSD, estão pior devido às cativações: “A Saúde, a escola pública e os transportes públicos”.

O PSD reinicia assim a atividade política após as férias de verão. A bandeira do ataque às cativações deverá manter-se, num contexto em que a dívida dos hospitais públicos tem aumentado ou a CP tem sido alvo de críticas pela falta de investimento. Além disso, as negociações para o próximo Orçamento do Estado estão em vias de serem retomadas, retomando uma maratona para a preparação do documento.

“Paira no ar a ideia de que este Governo vai dar tudo a todos de maneira a garantir a aprovação do orçamento (…). O nosso receio é esse: que entremos num ambiente de eleitoralismo”, afirmou, citado pela Lusa, deixando um apelo direto a António Costa.

“Senhor primeiro-ministro, é muito cedo para entrarmos em ambiente de eleitoralismo. Eleitoralismo agora é retirar da discussão do Orçamento do Estado todo o sentido de rigor e responsabilidade que deve ter essa discussão, não faça isso”, apelou, considerando que tal irá “arrastar os partidos da oposição para um discurso igualmente eleitoral”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Negrão ataca cativações de Costa na Universidade de Verão do PSD

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião