Quem leva a coroa dos “ultra ricos”? Hong Kong supera Nova Iorque, mas EUA continuam a liderar

O número de mulheres no grupo das pessoas com mais riqueza atingiu máximos. A riqueza combinada também aumentou, para 31,5 biliões de dólares.

Onde se concentram os mais ricos? Hong Kong destronou Nova Iorque como a cidade que tem mais “ultra ricos”, pessoas que têm uma riqueza estimada de 30 milhões de dólares ou mais.

A população que se encontra neste grupo aumentou quase um terço em Hong Kong no ano passado, revela o estudo da empresa Wealth-X. Apesar de a cidade da maçã ter sido ultrapassada, os Estados Unidos da América continuam a ser o país onde se concentra mais riqueza.

No ranking das cidades, encontram-se cinco norte-americanas — para além de Nova Iorque, também Los Angeles, Chicago, São Francisco e Washington DC –, e duas japonesas, Tóquio e Osaca. Apenas duas cidades europeias estão na lista — Paris e Londres –, em quinto e sexto lugar respetivamente.

Quando se olhar para os países, os europeus já se destacam mais. Apesar de o pódio ficar completo com dois países asiáticos, Japão e China, há cinco do Velho Continente. A Alemanha encontra-se em quarto lugar, França em sexto, e Reino Unido, Suíça e Itália estão a fechar o top 10.

A população que vale mais de 30 milhões de dólares cresceu 13% para 250 mil, e a riqueza combinada também aumentou, 16,3% para 31,5 biliões de dólares. Estes números que indicam que a riqueza está a aumentar. Outro indicador que além de subir atingiu máximos desde que há registo é o número de mulheres no grupo – foram 35 mil, ou seja quase 14% do total.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quem leva a coroa dos “ultra ricos”? Hong Kong supera Nova Iorque, mas EUA continuam a liderar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião