Bancos europeus vão deixar a Euribor. Querem a nova taxa do BCE

O Banco Central Europeu prepara-se para lançar uma nova taxa interbancária, que pretende ser mais fiável que a atual.

A Euribor tem os dias contados. A Ester, a taxa de juro interbancária criada pelo Banco Central Europeu, ainda está em consulta pública, mas já está a conquistar adeptos. De acordo com a Reuters, um grupo dos maiores bancos da Zona Euro decidiram que vão adotar esta nova taxa como referência.

São 23 os bancos europeus, entre eles os maiores bancos comerciais da região, segundo a agência noticiosa, que subscrevem a adoção da Ester, em detrimento da Euribor. Esta taxa poderá, assim, passar a ser utilizada como referencial para ativos financeiros de biliões de euros nos mercados financeiros, mas também nos créditos à habitação em Portugal — podendo dar um desconto nas prestações.

Esta short-term rate, uma taxa de juro que será determinada com base nas transações que ocorram no mercado interbancário da Zona Euro, foi criada pelo BCE depois de o European Money Markets Institute (EMMI), entidade responsável pela Euribor, ter falhado na tentativa de reformular a taxa.

Ester foi a sigla escolhida pelo BCE para denominar esta taxa que conta com uma fórmula de cálculo que contrasta com a da Euribor, apenas baseada em taxas comunicadas por um painel de bancos, entre eles a Caixa Geral de Depósitos. A Ester vai ser fixada em função de operações efetivamente realizadas no mercado.

Foi criada pela autoridade monetária do euro como mais uma taxa, procurando coexistir com a Euribor, mas mesmo antes de chegar ao mercado — só deverá acontecer no final de 2019 — começa já a observar-se um movimento no sentido de acabar com esta última. Recorde-se que nos últimos anos foram vários os escândalos relacionados com a manipulação da Euribor.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Bancos europeus vão deixar a Euribor. Querem a nova taxa do BCE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião