Sonae avança com IPO do negócio do retalho ainda este ano. Parte da oferta será para pequenos investidores

Em comunicado enviado à CMVM, Sonae SGPS formaliza a "intenção de admitir à negociação ações da Sonae MC" na bolsa de Lisboa. Operação deverá acontecer ainda este ano.

Os co-presidentes da Sonae, Ângelo Paupério (à esquerda) e Paulo Azevedo.

A Sonae deu mais um passo na já anunciada intenção da entrada em bolsa da Sonae MC, o seu negócio de retalho alimentar. Em comunicado enviado à CMVM, a empresa “anuncia a intenção de admitir à negociação as ações representativas do capital social da Sonae MC na Euronext Lisbon” no quarto trimestre de 2018. De acordo com a empresa, a Sonae SGPS prevê oferecer uma participação minoritária a investidores não qualificados e qualificados, mantendo-se o acionista de referência da Sonae MC.

” É expectável que o IPO seja uma oferta exclusivamente secundária das ações existentes da Sociedade, indiretamente, detidas pela Sonae SGPS (através da sua subsidiária, Sonaecenter Serviços, S.A.), a qual pretende manter uma posição acionista maioritária na Sonae MC, tendo como objetivo atingir um “free-float” mínimo de aproximadamente 25%”, acrescenta a empresa em comunicado.

A Sonae MC é o maior operador de retalho alimentar em Portugal, com uma quota de mercado de 21,9% “num setor de crescimento e com baixa taxa de penetração, estimando-se que cresça a 2,9% por ano até 2022”. De acordo com o comunicado enviado ao regulador, a empresa diz que se trata de um “negócio alimentar único, multi-formato e omnicanal com uma rede de hipermercados urbanos, supermercados e lojas de proximidade, complementado por um portefólio diversificado de formatos adjacentes e uma plataforma de e-commerce em rápido crescimento”.

“Após quase 60 anos de história, a Sonae SGPS continua a estar totalmente alinhada com as suas raízes e os seus princípios de criação de valor económico para os negócios, pessoas e sociedade. O IPO da Sonae MC é mais um passo que demonstra a capacidade do grupo para criar valor para os acionistas e conceder às sociedades do seu portefólio a independência necessária para continuar a cumprir as suas ambições de crescimento. O Conselho de Administração e eu acreditamos que esta Oferta será uma oportunidade única para os investidores num mercado de retalho alimentar em crescimento e, especialmente, no líder do setor em Portugal”, explica Ângelo Paupério, co-CEO da Sonae SGPS, citado em comunicado.

A rede da Sonae MC conta com 567 lojas de retalho alimentar e 487 lojas de formatos adjacentes localizadas em áreas premium em todo o país.

Já Luís Moutinho, CEO da Sonae MC, sublinha a importância de a empresa continuar a seguir uma “estratégia centrada no consumidor para sustentar um papel de crescimento e perfil de rentabilidade acima do mercado num período de forte expansão da nossa rede de lojas”.

“Acreditamos que o IPO marca o início de uma nova e importante etapa na nossa história da Sonae MC e estamos ansiosos por alavancar as oportunidades de crescimento que temos pela frente”, acrescenta.

"Acreditamos que o IPO marca o início de uma nova e importante etapa na nossa história da Sonae MC.”

Luís Moutinho

CEO da Sonae MC

O IPO da MC, garante a empresa, visa a “cristalização de valor” para os acionistas da Sonae SGPS através da maior visibilidade dada à valorização da empresa de retalho e, “potencialmente, através da redução do desconto de holding do grupo”. A empresa espera também que a entrada na bolsa de Lisboa melhore a proposta de valor da Sonae MC através de “um aumento do nível de autonomia, uma estrutura de capital independente e um governo societário e política de dividendos em linha com as melhores práticas do mercado”.

Para assessorar a operação, a Sonae conta com o Barclays, o BNP Paribas e o Deutsche Bank, que atuam como Joint Global Cordinators para o IPO. Já no papel de Joint Bookrunners para a oferta institucional, a empresa garante a operação com a ajuda do Santander, do CaixaBank BPI e do CaixaBI. O Haitong Bank, a JB Capital Markets e o Mediobanca atuam como co-lead managers. O CaixaBI e o Millennium Investment Banking atuam como Joint Lead Managers e como Joint Bookrunners para a Oferta de Retalho. A Shearman & Sterling (London) LLP e a Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados atuam como assessores jurídicos da Sonae SGPS e da Sociedade. A Linklaters LLP atua como assessor jurídico.

(Notícia atualizada às 7h39 com mais informação).

Comentários ({{ total }})

Sonae avança com IPO do negócio do retalho ainda este ano. Parte da oferta será para pequenos investidores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião