Aumento da oferta no mercado imobiliário vai abrandar subida de preços

  • Lusa
  • 24 Setembro 2018

"Muitas das decisões de construção que foram tomadas nos últimos anos e que estão a ser tomadas este ano vão produzir a colocação de novos imóveis no mercado", aponta João Pedro Pereira, da ERA.

O aumento da oferta no mercado imobiliário deverá abrandar a subida dos preços e afastar a possibilidade de um cenário de “bolha” no setor, previu um responsável da ERA Portugal.

“Muitas das decisões de construção que foram tomadas nos últimos anos e que estão a ser tomadas este ano vão produzir finalmente a colocação de novos imóveis no mercado”, disse João Pedro Pereira, da Comissão Executiva da imobiliária, em declarações à Lusa. Produtos esses que “são bem-vindos e vão fazer com que se abrande o crescimento de preços nas zonas mais caras e melhorar a qualidade da oferta habitacional em Portugal“.

Estimando o “aparecimento de mais oferta de produto no mercado se o enquadramento legal e fiscal se mantiver“, o especialista admite que, nas zonas históricas, o a oferta continuará a surgir pela reabilitação, “até porque não há espaço para construção nova”.

João Pereira afasta um cenário de “bolha” no mercado, referindo ser uma hipótese colocada pelas pessoas que “não levam em conta o facto de a oferta no mercado imobiliário demorar muitos anos a ajustar-se à procura”, dado o tempo entre a decisão e a finalização da construção. “O ajuste da oferta vai compensar o aumento da procura, só que, ao contrário de outros produtos, no mercado imobiliário este ajuste demora dois anos, três anos a ser feito”, recordou.

Já sobre o crédito bancário, o especialista indicou que surgiram soluções e que as regras colocadas “provocam, por um lado, o aumento da procura de casas, mas não um aumento irresponsável ou soluções, como antes da crise, em termos de financiamento a 100% ou situações em que as pessoas dificilmente teriam condições para pagar o empréstimo”.

Em vésperas da apresentação do OE2019, cuja preparação tem levado a discussões, por exemplo, de eventuais novas taxas, João Pedro Pereira comentou que os “investidores não estão nervosos“. “Pode é haver revisão das suas posições, dos seus planos de investimento em função das regras que forem estabelecidas pelas leis ou pelos regulamentos de cada geografia e de cada país”, argumentou.

O responsável acredita que a internacionalização do mercado imobiliário será para “continuar nos próximos anos”, porque a localização de Portugal na Europa é “muito interessante, porque a recuperação económica ajudou na previsão de que as condições de estabilidade se iriam manter” e trouxe novos investidores. Esta é uma situação “positiva” porque coloca o país no mercado global, “traz mais liquidez”, um “maior profissionalismo e também uma maior exigência por parte dos consumidores”.

Comentários ({{ total }})

Aumento da oferta no mercado imobiliário vai abrandar subida de preços

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião