Dois anos depois, estão abertas as candidaturas ao fundo de 200 milhões para apoiar startups

Foi em 2016 que António Costa anunciou a criação do Fundo de Coinvestimento 200M. Agora, quase dois anos depois, os coinvestidores interessados podem, por fim, candidatar-se.

Quase dois anos depois de ter sido anunciado pelo Governo, o Fundo 200M — destinado a apoiar o empreendedorismo — está finalmente a receber candidaturas. Foi em 2016, na primeira edição portuguesa do Web Summit, que António Costa apresentou o programa cujo objetivo é dar suporte a startups em regime de coinvestimento com fundos privados.

“Nem sempre as boas ideias veem a luz do dia, porque nem sempre encontram o investimento certo para serem realizadas. Resolver a questão do investimento é uma crucial. Percebemos que a melhor forma de apoiar o financiamento é coinvestir”, sublinhou, na altura, o primeiro-ministro, durante a maior feira de tecnologia do mundo.

O Fundo 200M conta com um capital inicial de 100 milhões de euros provenientes do Portugal 2020. A par desse valor, o objetivo do Governo passa por incentivar — numa lógica de matching fund — os investidores a financiarem 50% do montante final entregue aos projetos (escolhidos pelos próprios privados). “Se pusermos o dinheiro disponível para quem sabe investi-lo, estaremos a investi-lo melhor. Esperamos que a iniciativa ajude a fortalecer uma economia mais dinâmica e inovadora”, chegou a salientar, nesse sentido, António Costa.

Deste modo, a partir desta quinta-feira os coinvestidores interessados no programa podem apresentar as suas candidaturas através do site do Fundo 200M. Para concretizar a inscrição, é, no entanto, necessário já ter apresentado “a intenção de investir” no projeto referido na candidatura.

As propostas serão depois avaliadas e selecionadas em função dos seguintes critérios: experiência dos investidores (nomeadamente em capital de risco), setor em causa, volume do investimento, número de empregos a serem criados, número de parceiros envolvidos, caráter inovador do projeto em causa.

O Fundo 200M é gerido pela PME Investimentos, cuja missão é “alargar a oferta de financiamento a empresas do setor não financeiro”, em particular pequenas e médias empresas através da gestão de fundos especiais de investimento.

Comentários ({{ total }})

Dois anos depois, estão abertas as candidaturas ao fundo de 200 milhões para apoiar startups

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião