“Falta de cortesia e de sentido de Estado”. Marcelo reage às críticas de Cavaco sobre a não recondução da PGR

"Não devo comentar ex-Presidentes, nem amanhã quando deixar de o ser, nem futuros Presidentes, por uma questão de cortesia e de sentido de Estado", disse Marcelo em reação às declarações de Cavaco.

Marcelo Rebelo de Sousa criticou, indiretamente, Cavaco Silva pelas declarações feitas no dia anterior sobre a nomeação da nova procuradora-geral da República, acusando-o de falta de cortesia e sentido de Estado.

Recusando comentar as declarações do antigo Chefe de Estado, precisamente por se tratar de um ex-Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa não deixou de sublinhar que tem por princípio “não comentar” o que os outros titulares do cargo dizem, “por uma questão de cortesia e de sentido de Estado”.

Entendo que não devo comentar ex-Presidentes, nem amanhã quando deixar de o ser, nem futuros Presidentes, por uma questão de cortesia e de sentido de Estado.

Marcelo Rebelo de Sousa

Presidente da República

Cavaco Silva, na quarta-feira, disse que “decisão política de não-recondução de Joana Marques Vidal é talvez a mais estranha tomada num mandato de Governo que geralmente é reconhecido como Geringonça”. Explicando que a nomeação do titular da Procuradoria-Geral da República cabe ao Presidente e não ao Governo, Marcelo assumiu que a critica lhe era dirigida a si.

“Todos sabemos que quem nomeia as procuradoras são os Presidentes, não são os governos”, disse Marcelo após o encerramento da Cimeira do Turismo, em Lisboa. “A nomeação da procuradora-geral da República foi minha, não foi de mais ninguém”, disse embora as regras determinem que o nome seja sugerido pelo Governo. “No fundo o que me está a dizer é que Cavaco Silva disse que era a mais estranha decisão do meu mandato“, explicou Marcelo quando confrontado pelos jornalistas com as afirmações do ex-Chefe de Estado. “Perante isso tenho sempre o mesmo comportamento. Entendo que não devo comentar ex-Presidentes, nem amanhã quando deixar de o ser, nem futuros Presidentes, por uma questão de cortesia e de sentido de Estado”, concluiu.

Já quanto ao caso de Tancos, Marcelo disse que “o pior que poderia acontecer numa matéria desta sensibilidade seria ficar uma cortina de nevoeiro que não fosse possível ultrapassar pelo apuramento da verdade”. O Chefe de Estado sublinhou ainda que “tudo o que seja levar até ao fim a investigação em curso, que deu agora um passo importante, é importante paras as Forças Armadas. As Forças Armadas não ganham com o não se querer saber da verdade”, acrescentou.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Falta de cortesia e de sentido de Estado”. Marcelo reage às críticas de Cavaco sobre a não recondução da PGR

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião