Pilotos alemães juntam-se à greve europeia dos tripulantes da Ryanair

Os pilotos das bases alemãs vão juntar-se à greve europeia dos tripulantes de cabine das bases portuguesa, espanhola, belga, holandesa, italiana e alemã.

Os pilotos da Ryanair nas bases alemãs vão participar na greve europeia marcada para esta sexta-feira, juntando-se aos tripulantes de cabine de vários países da Europa. A pressão é cada vez maior para a companhia low cost, com os funcionários a protestarem contra os salários e condições oferecidos.

De acordo com a Reuters (conteúdo em inglês), a notícia foi confirmada na madrugada desta quinta-feira pelo sindicado dos pilotos alemães, Vereinigung Cockpit (CV). “Não recebemos numa oferta melhorada desde a última greve surpresa a 12 de setembro. Além disso, nenhum acordo foi conseguido até agora entre a Ryanair e o VC“, disse o sindicato, em comunicado.

A entidade pediu aos pilotos na Alemanha que fizessem greve desde as 3h da manhã (2h da manhã, hora em Lisboa) esta sexta-feira até às 2h59 (3h59, hora de Lisboa) da manhã de sábado. Os pilotos acederam ao pedido.

A Ryanair já cancelou 150 voos esta sexta-feira devido à greve do pessoal de cabine das bases portuguesa, espanhola, belga, holandesa, italiana e alemã. O sindicatos alemão, Verdi, que representa cerca de 1.000 tripulantes de cabine da companhia irlandesa, está também a planear outros comícios esta sexta-feira.

Esta paralisação à escala europeia deve-se à aplicação da legislação laboral dos países de origem dos trabalhadores, em vez da legislação irlandesa. Os profissionais querem também o fim de alegados processos disciplinares por motivo de baixas médicas ou vendas a bordo dos aviões abaixo das metas definidas pela empresa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Pilotos alemães juntam-se à greve europeia dos tripulantes da Ryanair

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião