Ryanair cancela 190 voos para esta sexta. 30 mil passageiros, incluindo portugueses, afetados pela greve

  • Marta Santos Silva
  • 25 Setembro 2018

Devido à greve do pessoal do cabine em Portugal e outros cinco países, a Ryanair decidiu cancelar 8% dos voos que estavam agendados para esta sexta-feira. A greve deve afetar 30 mil passageiros.

A Ryanair decidiu cancelar 190 voos dos 2.400 que tem agendados para 28 de setembro, esta sexta-feira, devido a uma greve do pessoal de cabine. De acordo com a agência Reuters, a transportadora aérea avalia que cerca de 30.000 passageiros sejam afetados por perturbações relacionadas com esta greve na sexta-feira.

A greve inclui pessoal de cabine de Portugal, Espanha, Bélgica, Holanda, Itália e Alemanha. Esta greve à escala europeia é mais um passo na luta dos trabalhadores da Ryanair, que têm vindo a manifestar-se ao longo do verão, juntamente com os pilotos que também já efetuaram paralisações. Os tripulantes de cabine avisam agora que se as suas reivindicações não tiverem resposta poderão prolongar a paralisação por um mês.

Vários sindicatos europeus reuniram em Bruxelas na semana passada para agendar esta greve. Seis países participam no protesto, com a intenção de que a Ryanair aplique aos seus trabalhadores a legislação nacional dos seus países de origem, nomeadamente em termos de gozo da licença de parentalidade e garantia do ordenado mínimo. Pretendem também o fim de alegados processos disciplinares por motivo de baixas médicas ou vendas a bordo dos aviões abaixo das metas definidas pela empresa.

De acordo com o comunicado da Ryanair, os passageiros afetados pelo cancelamento dos 190 voos desta sexta-feira já foram contactados por email e SMS. A empresa afirma que a greve está a ser impulsionada por empresas concorrentes — por exemplo, alega que é um tripulante norueguês que lidera a greve em Espanha, e que em Portugal é a TAP que está a apelar a estas greves “sem o apoio da nossa tripulação portuguesa”. A Ryanair não tem reconhecido como interlocutor o sindicato português SNPVAC (Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil), cuja dirigente sindical, Luciana Passo, é afeta à TAP.

A empresa refere ainda no seu comunicado que está a fazer progressos nas negociações com os sindicatos, algo que não tem sido confirmado pelos representantes dos trabalhadores. A Ryanair refere que já acordou “mudar para contratos locais, leis locais e cobrança de impostos local tão depressa quanto possível em 2019”, estando assim “desiludida” que os sindicatos, liderados pelo que dizem ser a concorrência, insista em impulsionar as greves.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ryanair cancela 190 voos para esta sexta. 30 mil passageiros, incluindo portugueses, afetados pela greve

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião