Portugal volta ao mercado até final do ano. Quer até 2.500 em dívida de curto prazo

Portugal volta mercado para emitir dívida de longo prazo até final do ano, com o IGCP a prever levantamentos entre 750 milhões e 1.000 milhões de euros através de leilões de obrigações do Tesouro.

Portugal vai voltar mercado para emitir dívida de longo prazo até final do ano, com o IGCP a prever levantamentos entre 750 milhões e 1.000 milhões de euros através de leilões de obrigações do Tesouro a serem realizados no último trimestre.

A agência que gere a dívida pública revelou esta sexta-feira as linhas de atuação em termos de financiamento para o quarto trimestre, as quais incluem ainda mais dois leilões de Bilhetes do Tesouro a serem realizados a 17 de outubro e 21 de novembro. Estas duas operações deverão permitir angariar entre 2.000 milhões e 2.500 milhões de euros em títulos de dívida de curto prazo.

“O IGCP acompanhará ativamente a evolução das condições de mercado, podendo introduzir ajustamentos às presentes linhas de atuação”, diz a agência liderada por Cristina Casalinho.

Portugal tem beneficiado de condições favoráveis de cada vez que vai aos mercados procurar financiamento. A custo da dívida emitida este ano registou uma taxa de 1,9%, a mais baixa desde pelo menos 2010.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal volta ao mercado até final do ano. Quer até 2.500 em dívida de curto prazo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião