Uber Eats vai passar a entregar pequenos-almoços e brunchs em Lisboa e no Porto

Só faltava mesmo o pequeno-almoço e o brunch para completar a lista de ofertas da Uber. O lançamento deste serviço é no próximo sábado e, para comemorar, a taxa de entrega será gratuita das 9h às 12h.

Depois de almoços, jantares, sobremesas e gelados, a Uber Eats vai lançar um novo serviço. A partir de sábado, a aplicação de entrega de comida ao domicílio vai disponibilizar também pequenos-almoços e brunchs, em Lisboa e no Porto. Segundo o comunicado enviado pela empresa, para comemorar a nova refeição, este sábado a taxa de entrega será gratuita.

Portanto, se quiser começar o dia com um pequeno-almoço ou um brunch entregue pela Uber, aproveite. Das 9h00 às 12h00 não paga a taxa do serviço de entrega, apenas tem de aplicar o código promocional (BREAKFASTPT).

O introdução do pequeno-almoço no pacote de ofertas da empresa liderada por Dara Khosrowshahi representa um nova oportunidade de consumo, fora do período de almoço e jantar. “Criada a pensar nos hábitos e preferências dos utilizadores portugueses, oferece uma seleção variada, à distância de um simples toque no smartphone”, lê-se no comunicado.

Na capital, a seleção conta com restaurantes parceiros como o Tartine, Tease, KaffeHaus, Breadfast e o Dear Breakfast. Já a norte, Diplomata, BB Gourmet, Negra Café, Flaviis Brunch e a icónica Padaria Ribeiro fazem parte das opções de pequeno-almoço e brunch.

O novo serviço começa com cobertura inicial nas áreas de lançamento de Lisboa (da Baixa de Lisboa até Telheiras e de Alcântara até à Penha de França) e Porto (da Foz até às Antas e da Ribeira até à Arca de Água).

Presente em 220 cidades em todo o mundo, o Uber Eats foi lançado em 2017 em Lisboa e em maio deste ano no Porto. Neste momento, a oferta já inclui mais de 700 restaurantes disponíveis em Portugal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Uber Eats vai passar a entregar pequenos-almoços e brunchs em Lisboa e no Porto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião