Investir em séries através de blockchain? É a ideia desta startup

O serviço de streaming convida os subscritores a investir em séries antes de estrearem, através da blockchain. O objetivo é financiar a criação de conteúdos em conjunto com a audiência.

Há séries que são tão boas que merecem uma aposta. É neste conceito que se apoia uma startup britânica, para desenvolver uma plataforma de streaming de vídeo em que os utilizadores podem comprar participações na séries e filmes que vão estrear.

É a partir da tecnologia blockchain que os interessados vão poder investir nos conteúdos antes de chegarem aos ecrãs, explica o The Telegraph (acesso livre/conteúdo em inglês). Descrito pela startup Bombay Sour como uma “Netflix com crowdfunding, o serviço Zest vai ser lançado nesta semana.

A startup britânica, fundada em maio, já tem prontos mais de 200 episódios piloto de séries ou curtas-metragens de realizadores como Eric Kissack, de “O Ditador”, e prevê aumentar a produção ao longo do ano. O produtor do filme “Discurso do Rei”, Simon Egan, junta-se à equipa como conselheiro.

O Zest será focado na visualização através do telemóvel. O fundador e CEO Piotr Kocel da empresa acredita que o entretenimento premium tem pela frente um “futuro descentralizado, onde o conteúdo é cocriado democraticamente com as audiências, e o valor é distribuído através de contratos privados smart“, cita a publicação.

Comentários ({{ total }})

Investir em séries através de blockchain? É a ideia desta startup

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião