Infraspeak fecha ronda de 1,6 milhões. Investimento vem de unicórnios europeus

Investimento vai alavancar crescimento da startup para o Reino Unido, Espanha e França. Infraspeak já está a contratar.

É uma mão cheia de investidores. A Infraspeak, startup portuguesa que desenvolveu uma plataforma de gestão de manutenção usada por clientes em seis países, fechou uma ronda de financiamento de 1,6 milhões de euros, participada pela Firstminute Capital, um fundo britânico criado pela Atomico, a Tencent e vários fundadores de unicórnios europeus, e também pela Innovation Nest (Polónia), Construtech Ventures (Brasil), 500 Startups (EUA) e Caixa Capital (Portugal).

“Após três anos focados no desenvolvimento do produto, na aquisição de clientes de referência e na criação de uma equipa da qual nos orgulhamos, chegou a altura de ambicionar novos voos. Fomos atrás dos parceiros certos para levar a Infraspeak para mais mercados internacionais e não podíamos estar mais orgulhosos de ter alguns dos melhores investidores do mundo a apoiar-nos neste projeto”, refere Felipe Ávila da Costa, cofundador e CEO da startup.

Fomos atrás dos parceiros certos para levar a Infraspeak para mais mercados internacionais.

Felipe Ávila da Costa

CEO e cofundador da Infraspeak

Em 2017, a Infraspeak cresceu mais de 200% e agora, quer reforçar o crescimento em novos mercados e no crescimento da equipa. Por isso, depois da ronda de investimento, a startup com sede na Founders Founders, no Porto, está a contratar para o mercado nacional e, também, para o mercado britânico, onde deverá abrir operações em breve. Além do Reino Unido, a empresa deverá expandir para Espanha e França.

Vemos grande potencial em soluções digitais para indústrias que ainda estão na ‘idade do papel’. Parece-nos adequada, e no tempo certo, a visão de criar um marketplace e um sistema de registos de manutenção e gestão de infraestruturas para hotéis, hospitais e outros edifícios não-residenciais. Acreditamos que a firstminute está estrategicamente posicionada para ajudar a Infraspeak a liderar o mercado Europeu, resultado da nossa posição de intersecção entre os universos empreendedor e corporativo”, justifica Lina Wenner, investidora da firstminute capital, citada em comunicado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Infraspeak fecha ronda de 1,6 milhões. Investimento vem de unicórnios europeus

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião