Infraspeak entra no mercado britânico à boleia da intu

Startup portuguesa ganhou cliente no norte da Europa e vai arrancar negócios no Reino Unido.

Luís Martins e Felipe Ávila da Costa, da Infraspeak.

A Infraspeak vai começar a trabalhar também no mercado britânico. A plataforma portuguesa com sede no Porto, que desenvolve gestão de manutenção e operações técnicas, anuncia esta terça-feira a entrada no mercado britânico, à boleia do mais recente cliente, a intu, principal proprietária e gestora de centros comerciais do Reino Unido.

A partir de agora, avança a Infraspeak em comunicado, os 17 edifícios e milhares de equipamentos da intu “começam a ser geridos pelo Infraspeak através de um projeto-piloto, parte do programa intu Accelerate, realizado em parceria com a consultora inglesa especialista em inovação, L Marks“.

Para o programa de aceleração, que dura dez semanas, foram selecionadas sete startups entre os mais de 120 candidatos. Ao lado da portuguesa Infraspeak estão BotsandUs, GoInStore, Percent, Soza Health, Toky Woky e WoraPay.

Para o chief executive da intu, David Fishel, o objetivo da empresa “é criar uma experiência de compras mais legítima que faça os nossos clientes sorrirem, e ajudar os nossos retalhistas a prosperar. E o que estamos a aprender através do programa de aceleração leva-nos diretamente a alcançar isto”.

“Ver o Infraspeak em utilização no mercado britânico, e conhecer mais profundamente como é a rotina das operações no Reino Unido, é uma excelente oportunidade para aprimorar a nossa plataforma e um passo importante para crescer em mais mercados”, esclarece Felipe Ávila da Costa, CEO da Infraspeak, em comunicado enviado às redações.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Infraspeak entra no mercado britânico à boleia da intu

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião