VdA fecha duas transações de M&A

A Vieira de Almeida assessorou a Socer na venda do Grupo Resiquímica e a Avis Budget Group na aquisição da Turiscar Group.

A VdA assessorou a Socer na venda das suas subsidiárias Resiquímica – Resinas Químicas, em Portugal e Espanha, e a Socer Sintra, ao grupo OMNOVA. O grupo Resiquímica é líder de mercado na produção e comercialização de polímeros sintéticos para indústrias de tintas, adesivos e compósitos estando presente em Portugal, Espanha, França e Norte de África.

Esta transação de âmbito ibérico marca a entrada desta multinacional norte -americana em Portugal, que reforça assim fortemente a sua presença no mercado europeu.

A operação, liderada por António Mendes de Almeida, associado coordenador de M&A, contou com os também associados coordenadores Manuel Gouveia Pereira e Américo Oliveira Fragoso, numa equipa que integrou vários outros advogados como os associados Diana Alfafar e Diogo Morgado Filipe, ambos de M&A.

Foi igualmente concluída em outubro a aquisição de 100% do Grupo Turiscar por parte da Avis Budget Group, um dos líderes mundiais do setor de aluguer de automóveis. A VdA assessorou a compradora, permitindo a esta passar a ter mais duas marcas distintas em Portugal – Turiscar e Turisprime – e acrescentando cerca de 3.000 viaturas ao seu portefólio no mercado nacional. Esta operação representa um passo estratégico do Avis Budget Group no fortalecimento da sua posição em Portugal.

A equipa, liderada pela sócia Helena Vaz Pinto, contou ainda com a coordenação do associado coordenador de M&A António Mendes de Almeida e Ana Duarte Silva, Maria Leonor Piconez, António Vieira de Almeida e Pedro Morais Vaz.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

VdA fecha duas transações de M&A

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião