Itália preparada para ajustes no Orçamento. Juros aliviam

A imprensa italiana dá conta da possibilidade de o Governo de Itália fazer ajustamentos no Orçamento do próximo ano. Os juros da dívida italiana inverteram e já caem. A bolsa recua menos.

O Governo de Itália poderá dar o dito por não dito e recuar nas metas orçamentais do próximo ano. A hipótese é avançada pelo jornal italiano Il Mensaggero, e deverá aplicar-se no caso de os mercados reagirem negativamente e o spread entre a taxa de juro da dívida a dez anos italiana e a das bunds alemãs dispare. E o mercado já está a reagir. Os juros da dívida italiana aliviam após um arranque de sessão em alta, com o spread entre os juros de Itália e da Alemanha também a encolher.

Na segunda-feira, o Governo italiano disse que manteria os seus planos orçamentais, apesar de reconhecer que o seu orçamento — que prevê um défice orçamental de 2,4% em 2019 — não estava conforme o Pacto de Estabilidade e Crescimento da União Europeia.

Juros da dívida italiana aliviam

Fonte: Reuters

O jornal italiano nada diz se o orçamento alternativo a propor pelo executivo liderado por Giuseppe Conte reduziria o défice para menos de 2,4% do PIB, mas que essa alternativa não implicaria uma saída do euro.

O “plano B” de Itália envolveria a redefinição das medidas para as reformas e do rendimento mínimo para os pobres, dois pontos-chave do orçamento expansionista, segundo apurou o Il Mensaggero sem detalhar as fontes que disponibilizaram essa informação.

Os juros da dívida já reagiram a essa notícia. O arranque de sessão foi marcado pela subida das yields soberanas italianas, perante a expectativa de que a Comissão Europeia possa pela primeira vez, obrigar um Estado-membro a refazer a sua proposta do Orçamento do Estado. Entretanto, perante a notícia de hoje, estas inverteram de rumo beneficiando de um alívio no mercado da dívida.

A taxa de juro da dívida a dois anos cai seis pontos base, para 1,399%, depois de ter estado a subir dez pontos base. No prazo a cinco anos, recua quatro pontos base, para 2,75%.

Já o spread entre os juros da dívida a dez anos italiana e da alemã no mesmo prazo recua dez pontos base após o máximo do dia nos 303,7 pontos.

Também as perdas na bolsa de Milão são menos acentuadas face à queda de quase 1% do início da sessão: recua 0,38%.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Itália preparada para ajustes no Orçamento. Juros aliviam

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião