Tomás Correia diz que Mutualista precisa de alguém jovem mas admite recandidatar-se

  • Lusa
  • 23 Outubro 2018

O presidente da Associação Mutualista Montepio mantém o tabu sobre a sua recandidatura à liderança, admitindo fazê-lo “no limite”, se não encontrar alguém mais jovem para o substituir.

O presidente da Associação Mutualista Montepio, Tomás Correia, mantém o tabu sobre a sua recandidatura à liderança, admitindo fazê-lo “no limite”, se não encontrar alguém mais jovem para o substituir.

“Gostava de ter uma pessoa da geração anterior à minha que assumisse as rédeas do Montepio, imbuída nos seus valores, que não renegasse a sua história e que tivesse condições para acrescentar mais património ao grande património que esta casa tem. E tem de ser alguém que pudesse cá estar 15 anos”, disse em entrevista à agência Lusa o presidente da Associação Mutualista desde 2008 e que, até 2015, acumulou com a presidência do banco Caixa Económica Montepio Geral.

Vincando que “há aqui uma oportunidade e um novo ciclo de reinvenção”, o responsável considerou que “não haverá quem, no país e no Montepio, esteja em melhores condições” do que o próprio para enfrentar desafios como os novos estatutos da associação e o plano de transição, mas reconheceu que “o novo ciclo é muito mais do que isso”.

“É desejável termos uma equipa que o inicia e que o fecha e a minha dúvida é porque sei que nunca terei condições para cumprir com esse ciclo” devido à idade, acrescentou Tomás Correia.

A seu ver, “o ideal era ter alguém jovem que pudesse ter uma visão coincidente” com a sua, “alguém na casa dos 50, 50 e picos anos”, uma “pessoa do Montepio” que não tem de fazer parte dos órgãos sociais, precisou.

“Uma das coisas que tentei nas últimas eleições [de 2016] foi desafiar pessoas a quem reconheço qualidade para poderem assumir esta responsabilidade”, porém essas pessoas “concluíram que eu queria passar a ‘batata quente’ e eu acabei por concluir que tinha de continuar cá”, explicou.

Hoje em dia “admito que possa haver alguém que já não olhe para as coisas como ‘tu queres é passar-me a batata quente’ e, portanto, só no limite é que eu digo que afinal não consigo ultrapassar o problema”, adiantou Tomás Correia, numa entrevista de balanço do mandato.

Para 7 de dezembro estão marcadas as eleições para escolher a nova administração da Associação Mutualista Montepio Geral dos próximos três anos.

Lista de Tomás Correia: “faltam detalhes”

Tomás Correia garantiu que nada o “impede de candidatar nem põe em causa uma candidatura”, isto apesar de existirem “algumas vozes que levantam questões em torno disso”, nomeadamente devido aos processos no Ministério Público e no Banco de Portugal que o envolvem.

Ainda assim, reconheceu que “essa discussão” sobre a lista ainda não está terminada. “Está muito adiantada, praticamente só faltam detalhes, nomeadamente o detalhe relativamente a mim próprio”, notou.

Decidido está que a ex-ministra da Saúde e antiga candidata à Presidência da República Maria de Belém irá encabeçar a lista ao Conselho Geral, enquanto o padre Vítor Melícias será novamente o candidato à Mesa da Assembleia-Geral.

Manuela Ramalho Eanes, mulher do antigo Presidente da República Ramalho Eanes, será líder da Comissão de Honra, revelou, falando em “muitas figuras de relevo”.

Já questionado se ficará na lista se não se recandidatar à presidência do Conselho de Administração, Tomás Correia rejeitou essa possibilidade, alegando não ter “o direito de participar em órgãos sociais que, de algum modo, condicionem quem vier a assumir esta responsabilidade”.

O objetivo é, assim, encontrar um substituto até final de outubro, quando termina o prazo das candidaturas.

“Isso dava-me uma tranquilidade que não imagina, porque entretanto tenho mais do que fazer”, adiantou Tomás Correia, referindo o gosto pela escrita.

Às eleições de dezembro deverão candidatar-se outras duas listas: uma liderada por Ribeiro Mendes, atual administrador da Associação Mutualista que já se afastou publicamente da gestão de Tomás Correia, e outra liderada pelo empresário António Godinho, que integra pessoas que no passado já concorreram contra Tomás Correia.

A oposição a Tomás Correia tentou, ao longo dos últimos meses, unir-se numa lista única, mas essa solução não vingou.

A Associação Mutualista Montepio Geral, com mais de 600 mil associados, é o topo do grupo Montepio e tem como principal empresa subsidiária a Caixa Económica Montepio Geral, que desenvolve o negócio bancário.

Antes de liderar a instituição, Tomás Correia foi presidente dos bancos espanhóis de Extremadura, Luso Español e o Simeón, tendo ainda sido administrador dos bancos Itaú, Franco-Portugaise, BNU, CGD e Montepio.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Tomás Correia diz que Mutualista precisa de alguém jovem mas admite recandidatar-se

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião