João Proença integra lista de Ribeiro Mendes às eleições da Associação Mutualista

Antigo líder da UGT candidata-se ao cargo de presidente da Assembleia Geral da Associação Mutualista Montepio pela lista "União e Confiança" encabeçada por Fernando Ribeiro Mendes.

João Proença, antigo secretário-geral da UGT, é o cabeça de lista da candidatura de Fernando Ribeiro Mendes para o cargo de presidente da mesa da Assembleia Geral da Associação Mutualista Montepio Geral (AMMG) nas eleições que vão ter lugar em dezembro.

A candidatura “União e Confiança” anunciou esta quinta-feira mais dois nomes que vão concorrer às próximas eleições na maior mutualista do país: além de João Proença, foi desvendado ainda o nome de João Carvalho das Neves, professor catedrático no ISEG, para ser eleito para cargo de presidente do Conselho Fiscal da instituição.

Ribeiro Mendes, administrador dissidente da atual gestão liderada por Tomás Correia e até ao momento o único candidato à liderança da AMMG, oficializou a sua candidatura na semana passada em Lisboa, tendo anunciado na altura que João Costa Pinto, antigo vice-presidente do Banco de Portugal, também integrava a sua lista para liderar o conselho geral da instituição.

“A experiência, a dedicação e o profissionalismo demonstrados ao longo da sua vida profissional pelos cabeças de lista que agora integram a “União e Confiança” comprovam a abrangência da nossa lista e a convergência de vontades em inverter o estado em que se encontra a AMMG”, referiu Ribeiro Mendes num comunicado distribuído pelas redações.

Ex-secretário da estrutura sindical UGT, João Proença é atualmente presidente do Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, o subsistema de saúde dos funcionários e aposentados do Estado. Foi um dos subscritores do designado Manifesto Anti-Tomás Correia.

As eleições para a AMMG, que conta com mais de 620 mil associados, terão lugar no próximo dia 7 de dezembro. As listas derrotadas nas anteriores eleições, que pretendiam avançar com apenas uma solução única alternativa contra Tomás Correia, também deverão apresentar candidatura às eleições, segundo apurou o ECO. Já o atual presidente tem mantido tabu em relação a uma recandidatura.

Os candidatos têm até final do mês para formalizar as suas candidaturas aos órgãos sociais da AMMG.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

João Proença integra lista de Ribeiro Mendes às eleições da Associação Mutualista

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião