5 coisas que vão marcar o dia

Serão conhecidos dados relevantes para a União Europeia e Portugal, relativos ao crescimento da economia e também à evolução do emprego. Portugal vai aos mercados para reembolsar o FMI.

Serão conhecidos dados relevantes para a União Europeia e Portugal, relativos ao crescimento da economia e também à evolução do emprego. Nos mercados, Portugal vai a leilão para angariar dinheiro para reembolsar antecipadamente o Fundo Monetário Internacional, e, depois do fecho da bolsa, a Sonae vai revelar as contas dos primeiros nove meses do ano. Saiba o que esperar desta quarta-feira.

Como cresceu a economia portuguesa? E a da Europa?

Na manhã desta quarta-feira será conhecida a estimativa rápida do gabinete de estatística da União Europeia (UE) para o Produto Interno Bruto (PIB), no terceiro trimestre de 2018. Segundo as previsões preliminares, o PIB do conjunto dos países da União Europeia e da Zona Euro cresceu 0,3% e 0,2%, respetivamente, no terceiro trimestre deste ano, em relação ao trimestre anterior. Em Portugal, o INE faz as contas à riqueza gerada no terceiro trimestre, sendo que a expectativa dos economistas contactados pelo ECO é de que a economia tenha crescido 0,4% em cadeia e 2,2% em termos homólogos.

Desemprego na Europa continua a descer?

O Eurostat vai divulgar as estimativas rápidas para o emprego no terceiro trimestre, na UE e na Zona Euro. Na Zona Euro, em setembro, a taxa de desemprego fixou-se nos 8,1%, um valor mais baixo face aos 8,9% registados no período homólogo de 2017. Portugal registou a quarta maior queda entre os Estados-membros.

Portugal vai emitir dívida para reembolsar FMI

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Gestão da Dívida Pública (IGCP) marcou um leilão duplo de dívida a cinco e dez anos para esta quarta-feira. Portugal quer obter entre mil milhões e 1.250 milhões de euros para “pagar antecipadamente parte do empréstimo do FMI”, explica o IGCP. No último mês, o IGCP realizou um leilão de dívida a dez anos, no qual colocou 782 milhões de euros com uma taxa de juro de juro em 1,939%.

Sonae apresenta resultados

A Sonae, uma das principais retalhistas portuguesas que vai, em breve, sofrer uma mudança de liderança, vai revelar as contas dos primeiros nove meses de 2018, depois do fecho do mercado de capitais. Esta será a primeira vez que a dona do Continente revela resultados depois de ter falhado a oferta pública de venda (OPV) do negócio de retalho em resultado da turbulência vivida nos mercados de capitais por causa de Itália.

Arranca comissão de inquérito a Tancos

A comissão parlamentar de inquérito ao furto de armas em Tancos vai tomar posse às 17h00. Será presidida por Filipe Neto Brandão, que é deputado do PS. A proposta de criação de uma comissão parlamentar de inquérito foi anunciada em setembro, depois de terem sido noticiadas as detenções de militares da Polícia Judiciária Militar e da GNR, na sequência da investigação à recuperação de armamento.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião