Brexit faz duas baixas no Governo de May. Libra em queda

Dois ministros do Governo de Theresa May estão de saída, em desacordo com os termos da saída do Reino Unido da União Europeia. Um é o ministro do Brexit, outra é a ministra do Trabalho.

Tensão máxima no Reino Unido. Depois de Theresa May ter fechado com a União Europeia a proposta de acordo para o Brexit, já são dois os ministros a anunciarem a demissão esta quinta-feira, por não apoiarem os termos estipulados entre o Reino Unido e o bloco. Dominic Raab demitiu-se do cargo de ministro do Brexit, enquanto Esther McVey decidiu abandonar a posição de ministra do Trabalho e das Pensões. A informação foi confirmada pelos próprios, no Twitter.

Estas baixas no Governo britânico estão a fazer precipitar o valor da libra nos mercados cambiais. A divisa britânica recua 1,93% face ao euro, a cotar em 88 pence. Em contrapartida, o índice britânico FTSE atingiu um pico durante a sessão, mas encerrou com um ganho ligeiro de 0,06%. No resto da Europa, a generalidade das praças pintou-se de vermelho, com o Stoxx 600 a recuar 1,06%.

Dominic Raab, ex-ministro do Brexit, justificou a demissão com o regime regulatório proposto para a Irlanda do Norte. Na visão de Raab, os termos representam uma ameaça real à integridade do Reino Unido.

Libra em queda. Tensão com o Brexit pressiona

“Hoje [quinta-feira], demiti-me do cargo de ministro do Brexit. Não posso em boa consciência apoiar os termos propostos para o nosso acordo com a União Europeia”, escreveu Dominic Raab no Twitter. Na publicação, onde divulga a carta enviada a Theresa May, Dominic Raab vai ainda mais longe: “Não posso conciliar os termos da proposta de acordo com as promessas que fizemos ao país no nosso manifesto nas últimas eleições. Isto é, no fundo, uma questão de confiança pública.”

Iain Smith, ex-líder do Partido Conservador, disse à BBC News que o impacto da demissão de Raab vai ser “devastador”. Smith afirmou ainda que a carta de Raab a Theresa May sugere que o ministro demissionário foi ignorado dentro do Governo.

O Partido Trabalhista também já reagiu à demissão de Raab. Num comunicado, Jon Trickett afirma que “o Governo está a desintegrar-se a olhos vistos” e que, pela segunda vez, “um ministro do Brexit recusou apoiar o plano da primeira-ministra”. “Já não resta qualquer autoridade a May, que é claramente incapaz de desenhar um acordo de Brexit que garanta o apoio do seu próprio executivo, quanto mais o do parlamento e o dos cidadãos”, acrescentou.

Esther McVey, ex-ministra do Trabalho e das Pensões, também publicou a carta de demissão no Twitter: “O acordo que apresentou ontem [quarta-feira] ao executivo não honra o resultado do referendo. Na verdade, não passa nos testes que definiu no início do seu mandato”, referiu a ex-governante, dirigindo-se à primeira-ministra, Theresa May.

A notícia das demissões de Dominic Raab e de Esther McVey surge no mesmo dia em que se soube que a cimeira extraordinária para assinalar o acordo do Brexit irá decorrer a 25 de novembro, em Bruxelas. A informação foi comunicada pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

Para além destas demissões, o The Guardian avançou que também estão de saída Suella Braverman, ministra “júnior” do Brexit, Shailesh Vara, ministro júnior para a Irlanda do Norte, e a ministra-adjunta Anne-Marie Trevelyan. Ranil Jayawardena, que faz a ponte entre o ministério da Justiça ao Parlamento, também apresentou a demissão por volta da hora de almoço.

May garante que acordo acaba com livre circulação

A primeira-ministra, Theresa May, está no Parlamento britânico a responder às críticas da oposição. Num discurso inicial, May garantiu que o Brexit “não tem sido um processo confortável” e disse que está comprometida “dia e noite” com a missão de “providenciar um acordo” para a saída do Reino Unido da União Europeia.

A governante deu mais detalhes aos parlamentares sobre os termos do acordo, garantindo que o Brexit vai acabar com a “livre circulação” de pessoas entre a União Europeia e o Reino Unido, e que o país terá o seu próprio mecanismo para lidar com a imigração. “Vamos poder decidir”, sublinhou.

Na mesma sessão, Jeremy Corbyn, líder da oposição, apelou à rejeição da proposta de acordo. “O país deve rasgar já este acordo, que não tem o apoio do executivo, nem do Parlamento, nem dos cidadãos”, criticou.

Brexit já fez nove baixas no Governo de May

São já nove as baixas no Governo de Theresa May causadas pelo Brexit nesta legislatura, quatro delas neste mês de novembro. Demitiram-se ainda quatro secretários de Estado e dois altos dirigentes do Partido Conservador. Aqui está a lista completa de ministros que saíram, compilada pela BBC e atualizada pelo ECO:

  1. Philip Lee (junho);
  2. David Davis (julho);
  3. Boris Johnson (julho);
  4. Steve Baker (julho)
  5. Guto Bebb (novembro)
  6. Jo Johnson (novembro)
  7. Shailesh Vara (novembro)
  8. Dominic Raab (novembro)
  9. Esther McVey (novembro)

(Notícia atualizada pela última vez às 19h30)

Comentários ({{ total }})

Brexit faz duas baixas no Governo de May. Libra em queda

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião