Bitcoin cai abaixo dos 5.000 dólares. Há 13 meses que não valia tão pouco

A criptomoeda desvaloriza mais de 8% esta segunda-feira devido a divisões internas. Em apenas sete dias, a capitalização do mercado cripto desvalorizou mais de 40 mil milhões de dólares.

A bitcoin quebrou esta segunda-feira a barreira dos 5.000 dólares e negoceia em mínimos de mais de um ano, pressionada por disputas internas que já levaram à divisão da maior moeda digital do mundo e também por um maior aperto da regulação. O tombo aconteceu apenas semana depois de a maior criptomoeda ter caído para menos de 6.000 dólares, levantando questões entre os analistas sobre a próxima barreira técnica.

Depois de confrontos internos sobre a forma de resolver problemas de escala da bitcoin terem levado a uma divisão (conhecida como hard fork), em agosto do ano passado, programadores e mineiros continuam sem concordar sobre o futuro da criptomoeda.

A bitcoin cash (que resultou da divisão realizada no ano passado) começou a agendar duas atualizações de protocolo por ano. A última atualização, marcada para 15 de novembro, foi interrompida devido a problemas de compatibilidade.

Os problemas com a atualização foram uma das razões para o tombo do valor do mercado cripto. A bitcoin, que às 18h00 negociava nos 5.048 dólares, cai 8,9% para o valor mais baixo desde outubro do ano passado. Na última semana, acumula uma perda de 16% e, desde o início do ano, de 32%.

A tendência negativa estende-se a todo o mercado de moeda digital. A capitalização de mercado de todas as criptomoedas desvalorizou 20% na última semana, ou seja, 43 mil milhões de dólares para mínimos também de 13 meses. Das 100 principais criptomoedas, apenas nove negoceiam no verde. A segunda maior criptomoeda, a Ethereum, negoceia no valor mais baixo em 17 meses, nos 151,9 dólares.

A castigar o setor está ainda a decisão da Securities and Exchange Commission (SEC) norte-americana de aplicar as primeiras penalizações civis a empresas de criptomoedas. Na passada sexta-feira, o regulador dos mercados dos EUA aplicou multas de 250 mil dólares às empresas Airfox e Paragon Coin Inc. por terem lançado Inicial Coin Offerings (ICO) sem autorização oficial.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bitcoin cai abaixo dos 5.000 dólares. Há 13 meses que não valia tão pouco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião