Centeno cativou em três anos tanto como Governo de Passos

  • ECO
  • 19 Novembro 2018

A despesa orçamentada que acabou por não ser libertada ao fim do ano pelo ministério das Finanças ascenderá a 2.000 milhões de euros no período de 2016 a 2018.

Portugal tem reduzido ano após ano o défice das contas públicas, de tal forma que conseguiu sair do Procedimento dos Défices Excessivos (PDE). Grande parte da descida do défice deve-se às cativações que, diz o Diário de Notícias/Dinheiro Vivo, em três anos de Governo de António Costa superaram as do Executivo do PSD-CDS.

De acordo com o DN, que cita dados avançados pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, e outras entidades que seguem as contas públicas portuguesas, a despesa orçamentada que acabou por não ser libertada ao fim do ano pelo ministério das Finanças ascenderá a 2.000 milhões de euros no período de 2016 a 2018.

O valor das cativações ascendeu 942 milhões de euros em 2016, um valor muito superior ao normal que foi crucial para que o défice caísse para um mínimo de 2% do PIB e, assim, Portugal saísse do PDE. Em 2017 foram de 563 e este ano serão de um total de 500 milhões de euros.

Este “bolo” cativo supera os 1.950 milhões registados no período entre 2011 e 2015. Ou seja, há mais cativações em três anos do Governo de Costa que nos quase cinco anos de PSD-CDS.

Comentários ({{ total }})

Centeno cativou em três anos tanto como Governo de Passos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião