Líderes da União Europeia aprovam acordo do Brexit

Os líderes dos 27 Estados-membros da União Europeia deram luz verde ao acordo do Brexit, durante a cimeira que decorre em Bruxelas.

Os líderes dos 27 Estados-membros da União Europeia aprovaram por unanimidade o acordo histórico do Brexit, desenhado em conjunto com a primeira-ministra britânica, Theresa May. A aprovação foi dada na cimeira que decorre em Bruxelas, um passo decisivo para a desvinculação do Reino Unido depois de 44 anos a fazer parte do bloco.

“O Conselho Europeu endossa o acordo de saída do Reino Unido da União Europeia […]. Nessa premissa, o Conselho Europeu convida a Comissão, o Parlamento Europeu, e o Conselho a empreenderem os passos necessários para assegurar que o acordo entra em vigor a 30 de março de 2019, para garantir uma saída ordenada”, lê-se nas conclusões da cimeira extraordinária deste domingo.

A aprovação surge depois de ter sido ultrapassado o “imbróglio” entre Espanha e Reino Unido por causa do dossiê de Gibraltar. Depois desta aprovação, os líderes europeus continuam reunidos para tomar algumas decisões que ainda não estão fechadas, como é o caso do acesso às águas de pesca britânicas, um tema que está a ser negociado à parte do acordo de comércio com o Reino Unido. May deverá juntar-se à reunião depois.

Após este passo decisivo para o divórcio, Theresa May ainda terá de conseguir o apoio do Parlamento e do seu próprio partido para levar avante a decisão tomada pelos cidadãos no referendo de 2016. A data oficial da saída do Reino Unido da União Europeia é 29 de março de 2019, mas a primeira-ministra britânica tem estado sob forte oposição interna e no Parlamento, com Jeremy Corbyn, do Partido Trabalhista, a pedir ao Governo que “rasgue” o acordo.

Entre os pontos aprovados está o volumoso acordo que cobre os direitos dos cidadãos, mais a fatura de 39 mil milhões de libras, o dossiê da Irlanda do Norte e uma declaração política que estabelece as bases da futura relação entre o Reino Unido e a União Europeia, de acordo com o The Guardian.

Antes do começo da cimeira, Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, disse que o acordo que foi agora aprovado “é o melhor acordo possível”. “É um dia triste. Ver um país como o Reino Unido sair da União Europeia não é um momento de jubilação, mas sim de grande tristeza, uma tragédia, e temos que fazer tudo para que este divórcio seja tão amigável quanto possível”, referiu.

António Costa, primeiro-ministro português, também reconheceu que o “sentimento” patente nesta cimeira de líderes europeus é “misto”. “Por um lado, a tristeza, por ser mais um passo que torna definitiva a saída do Reino Unido da União Europeia, mas ao mesmo tempo muito alívio pelo facto de ter sido possível chegarmos um acordo e termos evitado o pior, que era um Brexit descontrolado, desorganizado”, reagiu António Costa, primeiro-ministro português.

(Notícia atualizada pela última vez às 10h55)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Líderes da União Europeia aprovam acordo do Brexit

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião