Metro do Porto vai parar. Faz greve a 10, 17 e 31 de dezembro

  • Lusa
  • 26 Novembro 2018

Em causa estão reivindicações como a redução da carga horária, a alteração da categoria profissional e a admissão de mais profissionais, tal como mais formação.

Os agentes de condução da Metro do Porto vão realizar três dias de greve em dezembro (dias 10, 17 e 31) para reivindicar a alteração da categoria profissional, a redução da carga horária e a admissão de mais profissionais.

Em declarações à Lusa, esta segunda-feira, o dirigente do Sindicato dos Maquinistas, Rui Pedro Pinto, disse que a empresa Via Porto – responsável pela operação – deverá admitir “uma turma de 12 pessoas, que já está em formação”, mas, em seu entender, é “um número insuficiente”, na medida em que “seriam necessários mais 20 a 30 profissionais”.

A redução da carga horária é outra reivindicação que os operadores de condução afetos à Via Porto pretendem ver atendidas. Rui Pedro Pinto disse que o objetivo é reduzir o horário de trabalho semanal das 40 horas para as 37 horas e meia. “Temos um horário excessivo e isso tem-se refletido na saúde dos trabalhadores e no desempenho das suas funções”, sublinhou.

O dirigente sindical apontou ainda a necessidade de mais formação profissional, em falha “desde há oito anos”. “Como o número de trabalhadores é insuficiente para as necessidades, não é possível dispensá-los para formação”, considerou.

Os agentes de condução pretendem também que lhes seja atribuída a categoria profissional de maquinista. O pré-aviso de greve já foi entregue, na quinta-feira, para as 24 horas dos três dias de dezembro, concluiu o sindicalista.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Metro do Porto vai parar. Faz greve a 10, 17 e 31 de dezembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião