Apesar das críticas de Trump, Powell diz que é preciso continuar a subir juros nos EUA

O Presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos defende que os aumentos graduais da taxa de juro continuam a ser necessários para evitar eventuais riscos para a economia.

Apesar das sucessivas críticas de Donald Trump, o Presidente da Reserva Federal norte-americana (Fed), Jerome Powell, defende que os aumentos graduais dos juros continuam a ser necessários para manter a economia no caminho certo. Durante um discurso no Clube Económico de Nova Iorque, esta quarta-feira, Powell diz que está a olhar com muita atenção para os novos dados económicos antes de decidir quais serão os próximos passos.

“Sabemos que, muitas vezes, as coisas acabam por ser bastante diferentes das previsões, mesmo das previsões mais cuidadosas”, disse Jerome Powell, citado pela Reuters (conteúdo em inglês). “O nosso ritmo gradual de aumento das taxas de juro tem sido um exercício para equilibrar os riscos”, continuou.

Sublinhando que a política monetária dos Estados Unidos não está num caminho “predefinido”, o Presidente da Fed disse que os aumentos graduais dos juros são necessários tendo em conta as pressões políticas que têm existido e as várias turbulências nos mercados, refere o Financial Times. Powell acrescentou que o nível de taxas de juro atual ainda é considerado baixo, tendo em conta os padrões históricos, e está “imediatamente abaixo” do ponto neutro — nível que não faz o crescimento acelerar ou desacelerar.

De acordo com Powell, o banco central norte-americano está a olhar com muita atenção para os novos dados económicos antes de decidir quais serão os próximos passos. Pode demorar mais de um ano para que os efeitos económicos do último aumento de juros se tornem evidentes, referiu o presidente da Fed, ao mesmo tempo que deixou um alerta ao banco central para que atue com cautela.

Estes comentários de Powell acontecem numa altura em que a Fed está sob pressão por parte do Governo de Donald Trump, que tem criticado os sucessivos aumentos dos juros. As mais recentes declarações do presidente norte-americano foram em entrevista ao The Washington Post: “Até à data, não estou nem um pouco feliz com a escolha de Jerome Powell [para a Fed]”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Apesar das críticas de Trump, Powell diz que é preciso continuar a subir juros nos EUA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião