Marcelo marca eleições legislativas para 6 de outubro de 2019

Portugal vai ter três atos eleitorais no próximo ano: a 23 de maio eleições europeias, 22 de setembro eleições na Madeira e a 6 de outubro eleições legislativas.

Depois de ouvir os partidos na quarta e quinta-feira, o Presidente da República agendou as eleições legislativas para 6 de outubro do próximo ano. O Chefe de Estado escolheu ainda o dia 22 de setembro para as eleições legislativas regionais da Madeira. No próximo ano há ainda mais um ato eleitoral que já está agendado: as eleições para o Parlamento Europeu a 26 de maio.

“Na sequência da audição dos partidos políticos representados na Assembleia da República, o Presidente da República definiu o dia 6 de outubro de 2019 para a realização das Eleições Legislativas”, lê-se na nota publicada esta sexta-feira no site da presidência.

Por outro lado, depois de “ter ouvido os partidos políticos representados na Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira, o Presidente da República escolheu o dia 22 de setembro de 2019 para a realização das Eleições Legislativas Regionais”. A audição dos representados na Assembleia Legislativa Regional da Madeira sobre a data das eleições regionais de 2019 aconteceu a 2 de novembro no Funchal.

No próximo ano está previsto mais um ato eleitoral: as eleições para o Parlamento Europeu que já têm a data marcada para 26 de maio de 2019. O ministro das Finanças, Mário Centeno, tinha defendido em abril que seria “adequado” alinhar as eleições legislativas com a votação para o Parlamento Europeu, o que anteciparia o escrutínio nacional em alguns meses. Mas essa não foi a opção do Chefe de Estado.

Na mesma nota a presidência especifica que os “decretos presidenciais fixando as datas destas eleições serão publicados oportunamente no ano que vem”.

(Notícia atualizada)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Marcelo marca eleições legislativas para 6 de outubro de 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião