Netflix faz frente a Hollywood. Quer uma centena de filmes no próximo ano e… talvez um Óscar

A gigante de streaming tem uma meta ambiciosa: 90 filmes por ano. O número deixa alguns estúdios de Hollywood "corados". A Universal Pictures, por exemplo, prevê produzir apenas 30 filmes em 2019.

Já não é novidade que a Netflix está empenhada na criação de conteúdos próprios, enfrentando assim os estúdios de Hollywood. Aliás, a tecnológica já anunciou até a compra do primeiro complexo de estúdios de produção nos Estados Unidos da América (EUA). Agora, em entrevista ao The New York Times (acesso livre, conteúdo em inglês), Scott Stuber, responsável pelos filmes originais da gigante de streaming, vem confirmá-lo.

Scott Stuber avançou que, em 2019, a Netflix deverá realizar 90 novas produções próprias. Os custos com a realização de cada um destes filmes oscilam entre os 20 e os 200 milhões de dólares.

São números que refletem o poder da Netflix no atual panorama cinematográfico. Alguns estúdios de Hollywood não têm a mesma capacidade de criação. A Universal Pictures, por exemplo, que é uma das empresas mais importantes nesta indústria, prevê realizar apenas 30 filmes no próximo ano.

De olhos postos no Óscar?

A empresa norte-americana pode estar mesmo a fazer alvo à estatueta dourada. Basta olhar para a sua última produção, “Roma”, realizada por Alfonso Cuarón, para a qual foram destinados 15 milhões de dólares. O filme, que pode ser visto na plataforma de streaming e, também, em alguns cinemas, está a colecionar muito boas críticas por parte dos especialistas. Muitos dizem, até, que será com este filme que a Netflix levará para casa o tão ansiado Óscar.

A estratégia tem também em conta a contratação de “pesos pesados” nesta indústria. O cineasta mexicano Alfonso Cuarón é um exemplo disso mesmo, conhecido por filmes como o “Gravity”, com o qual, aliás, ganhou o Óscar de Melhor Realizador.

Mas os contratos não ficam por aqui. Martin Scorsese, Steven Soderbergh, Guillermo del Toro, Michael Bay, Meryl Streep, Ben Affleck, Eddie Murphy, Sandra Bullock e La Roca são outros nomes da indústria do cinematográfica que vão surgindo na Netflix. “Se quiseres criar um bom filme, tens de contar com os melhores”, considera Stuber.

Comentários ({{ total }})

Netflix faz frente a Hollywood. Quer uma centena de filmes no próximo ano e… talvez um Óscar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião