Afinal, DGS tem última palavra nas vacinas grátis

  • ECO
  • 22 Dezembro 2018

Na redação final do Orçamento do Estado os deputados decidiram que a inclusão de novas vacinas vai ser feita "em articulação com a Direção-Geral de Saúde (DGS)".

O Parlamento introduziu três novas vacinas no Plano Nacional de Vacinação, gerando uma onda de críticas por os deputados estarem a extravasar as suas competências. Agora, segundo o Público (acesso condicionado), os deputados deram um passo atrás. Dão a última palavra à Direção-Geral de Saúde (DGS).

Em causa estavam as vacinas contra o rotavírus (gastroenterites), contra a meningite B e contra o Papiloma Vírus Humano (HPV) aos rapazes (que já é gratuita para as raparigas). A passagem destas vacinas para o Plano Nacional de Vacinação foi proposta pelo PCP e o BE, tendo sido validada pelo PSD.

Na edição deste sábado, o Público avança que na redação final do Orçamento do Estado os deputados decidiram que a inclusão de novas vacinas seria feita “em articulação com a Direção-Geral de Saúde (DGS)”.

Fonte oficial da DGS, citada pelo Público, refere que esta redação vem “abrir um caminho de conciliação que permitirá à DGS fazer o seu trabalho do ponto de vista de saúde pública”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Afinal, DGS tem última palavra nas vacinas grátis

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião