Portugal ainda tem 30 mil postos de trabalho por ocupar

  • ECO
  • 3 Janeiro 2019

Os setores do comércio e da restauração são aqueles que apresentam mais vagas sem candidatos. Contudo, é a construção que mais sobe.

No terceiro trimestre do último ano, mais de 30 mil postos de trabalho não receberam candidatos. Isto apesar de os centros de emprego terem registado mais de 334 mil desempregados. O comércio e a restauração são as atividades com mais vagas por preencher, mas foi o setor da construção que verificou o maior aumento, avança o Correio da Manhã (acesso pago).

Se comparado com o período homólogo, o terceiro trimestre de 2018 registou um aumento de quase 9% de ofertas de trabalho sem candidatos. Em concreto, foram 30.031 postos de trabalhos que ficaram por preencher. Ao todo, os empregos vagos no país atingiram, no trimestre em análise, 1% do total do emprego.

Ainda assim, de acordo com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), 334.897 pessoas estavam registadas em centros de emprego, em novembro. O Governo, por sua vez, diz que apenas 139.732 receberam o subsídio de desemprego.

De acordo com o Ministério do Trabalho, as atividades com mais vagas por preencher são o comércio e a restauração, que apresentam 9.876 vagas disponíveis. Contudo, o maior aumento de postos de trabalhos sem candidatos verificou-se no setor na construção, que totaliza uma subida de quase 50%.

Comentários ({{ total }})

Portugal ainda tem 30 mil postos de trabalho por ocupar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião