Ministro diz que taxa de juro do programa Casa Eficiente não é atrativa

  • Lusa
  • 14 Janeiro 2019

Matos Fernandes, defende ser importante aumentar a adesão ao programa Casa Eficiente, considerando que a taxa de juro praticada pelos bancos não é atrativa.

O ministro do Ambiente, Matos Fernandes, defendeu esta segunda-feira que é importante aumentar a adesão ao programa Casa Eficiente, considerando que a taxa de juro praticada pelos bancos não é atrativa.

À margem de um visita ao Complexo do Cachão, em Mirandela, Matos Fernandes adiantou que vai reunir-se “em breve” com a Confederação Portuguesa da Construção e Imobiliário (CPCI) para encontrar soluções para ultrapassar o subaproveitamento do programa Casa Eficiente.

O programa Casa Eficiente tem 200 milhões de euros disponíveis para serem investidos na melhoria das condições energéticas e de eficiência das habitações.

“A expectativa que, quer a confederação CPCI quer o Governo tinham quando lançaram este programa, ainda não está a ser cumprida”, afirmou o ministro, realçando que “a taxa de juro que a banca está a praticar é uma taxa demasiado parecida com a do crédito pessoal para poder ser atrativa”.

Matos Fernandes defendeu que “é mesmo importante tornar mais eficientes as habitações, seja do ponto de vista energético, seja do ponto de vista elétrico”.

“Já falei hoje de manhã com o presidente da CPCI e vamos muito em breve reunir para saber o que fazer com o objetivo de aproveitar estes mais de 200 milhões de euros que estão disponíveis para que possa ser investido neste setor”, afirmou.

De acordo com o jornal Público, seis meses depois de ter chegado ao terreno, o programa de eficiência energética, com uma dotação de 200 milhões de euros, permitiu empréstimos de apenas 300 mil euros, e só a CGD e o Millennium BCP avançaram com produtos específicos.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ministro diz que taxa de juro do programa Casa Eficiente não é atrativa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião