Empresas vão receber alertas sobre saúde financeira

  • Lusa
  • 24 Janeiro 2019

O Governo aprovou, esta tarde, o mecanismo de alerta precoce quanto à situação económico e financeira das empresas portuguesas.

O Conselho de Ministros aprovou, esta quinta-feira, o decreto-lei que cria o mecanismo de alerta precoce (MAP) quanto à situação económica e financeira das empresas com sede em Portugal.

“O MAP consiste num procedimento de prestação de informação económica e financeira aos membros dos órgãos de administração das empresas com sede em Portugal, numa base anual, constituindo um mecanismo de apoio à decisão e gestão empresarial com base em análises estatísticas”, lê-se no comunicado do Conselho de Ministros.

De acordo com o Governo, esta medida está incluída no Programa Capitalizar, sendo que a sua implementação vai permitir disponibilizar às empresas “indicadores económico-financeiros, compilados a partir da Central de Balanços do Banco de Portugal e analisados pelo IAPMEI [Agência para a Competitividade e Inovação]”.

A análise terá por base os dados constantes da Informação Empresarial Simplificada (IES) relativos à saúde financeira de cada empresa, “bem como uma breve menção expressa a eventuais mecanismos disponíveis e a remissão para o IPAMEI em caso de necessidade de apoio especializado”.

Esta informação vai constar da página da internet do IAPMEI e será difundida pelo Portal das Finanças.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Empresas vão receber alertas sobre saúde financeira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião