Avaliação dos bancos às casas sobe há 21 meses. Está em máximos de 2008

O valor médio da avaliação bancária foi de 1.192 euros por metro quadrado no conjunto de 2018. No final de dezembro, atingiu novo pico, de 1.220 euros por metro quadrado, o valor mais alto desde 2008.

O valor da avaliação bancária às casas para a concessão de crédito à habitação atingiu um novo pico em dezembro de 2018: fixou-se numa média de 1.220 euros por metro quadrado, o valor mais elevado desde 2008. Considerando o conjunto do ano passado, o valor médio da avaliação bancária aumentou em quase 6%.

Os dados foram divulgados, esta sexta-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que dá conta de que o valor da avaliação bancária está a subir há 21 meses consecutivos. Em dezembro, aumentou em 5 euros por metro quadrado, relativamente a novembro, totalizando os 1.220 euros por metro quadrado. Já em relação a dezembro do ano passado, o aumento é mais expressivo de 6,1%, ou de mais 70 euros. Este é o valor mais elevado desde o primeiro trimestre de 2008, altura em que a avaliação bancária estava neste preciso valor.

A avaliação das casas mantém, assim, a tendência de aceleração que já se verifica desde fevereiro de 2015. Desde então, a avaliação que os bancos fazem às casas aumentou todos os meses.

Olhando para o balanço do ano de 2018, a aceleração também é significativa. O valor médio da avaliação bancária no conjunto do ano passado fixou-se nos 1.192 euros por metro quadrado, o que representa um aumento de 5,8% relativamente a 2017.

Ainda em termos anuais, “observou-se um crescimento do valor de avaliação em todas as regiões, tendo as regiões Algarve e Norte apresentado as variações de maior intensidade (7,4% e 7,3%, respetivamente), indica o INE.

“Por natureza de alojamentos, no ano de 2018, o valor médio de avaliação bancária aumentou 6,1% nos apartamentos e 4,7% nas moradias, para valores médios de 1.249 euros por metro quadrado e 1.095 euros por metro quadrado”, acrescenta.

Algarve e Lisboa registam os maiores aumentos

A avaliação bancária subiu em todas as regiões do país, mas com grandes disparidades. Algarve e Lisboa registaram os maiores aumentos em dezembro, enquanto a evolução menos acentuada foi verificada na Madeira e no Alentejo, onde as subidas ficaram abaixo da média nacional.

No Algarve, a avaliação bancária fixou-se nos 1.584 euros por metro quadrado em dezembro, o que representa uma subida homóloga de 9,17%. Já na Área Metropolitana de Lisboa, a avaliação bancária aumentou em 7,9%, totalizando os 1.502 euros por metro quadrado.

Por outro lado, na Madeira, a subida foi de apenas 2,84%, para os 1.341 euros por metro quadrado, enquanto no Alentejo foi de 2,98%, para os 1.003 euros por metro quadrado.

Notícia atualizada pela última vez às 11h54 com mais informação.

Comentários ({{ total }})

Avaliação dos bancos às casas sobe há 21 meses. Está em máximos de 2008

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião