Publicidade vale mais de 1% do PIB. Cada euro investido gerou quatro euros para a economia

A APAN e a Deloitte fizeram um raio-x à indústria da publicidade em Portugal. Concluíram que o investimento de mais de 570 milhões de euros em 2017 gerou retorno de 2,5 mil milhões para a economia.

O presidente da Associação Portuguesa de Anunciantes (APAN), António Casanova, alertou esta quarta-feira que “só há investimentos de publicidade fortes se houver uma economia forte” e defendeu que “não há imprensa livre se não houver publicidade”. Declarações que surgem no dia em que se conhece um estudo que conclui que, em 2017, o investimento em publicidade totalizou os 570,8 milhões de euros e permitiu gerar cerca de 2,5 mil milhões de euros para o PIB nacional, ou 1,3% do total da riqueza gerada no país.

O trabalho, desenvolvido pela Deloitte e pela APAN, pretendeu fazer um raio-x à indústria da publicidade e dos meios, de forma quantitativa e qualitativa. Entre os dados apurados está o de que, em média, cada euro investido em publicidade gera 4,39 euros em riqueza agregada, com a publicidade a representar um total de 51.250 postos de trabalho diretos e indiretos, ou 1,1% do emprego em Portugal, revela este estudo. Ao nível da receita fiscal, os números dizem respeito a 2016, ano em que o Estado e a Segurança Social arrecadaram cerca de 287 milhões de euros com a tributação sobre esta atividade, ou 0,39% das receitas fiscais em Portugal nesse ano.

Entre os setores que mais investiram em publicidade estiveram as indústrias farmacêutica, automóvel, de alimentação e de higiene pessoal. Juntos, estes negócios representaram mais de metade do investimento feito em publicidade, indica o estudo da APAN e da Deloitte. Segundo a associação que reúne as maiores empresas anunciantes do país, este estudo é feito pela consultora em vários países, há já dezenas de anos, mas nunca tinha sido feito com este detalhe no mercado português.

“A televisão é o principal palco da publicidade em Portugal, captando mais de 50% do investimento. Por outro lado, a publicidade digital tem vindo a crescer em importância, ultrapassando meios tradicionais de outdoor, rádio, imprensa e cinema”, aponta a APAN em comunicado. No estudo, entre os principais media digitais, surgem empresas como o Facebook e a Google.

“A publicidade é a principal fonte de financiamento dos principais meios de comunicação em Portugal, incluindo imprensa, rádio e televisão. Além disso, os anunciantes contribuem para produções culturais e de cinema independente através da taxa sobre publicidade de 4%”, acrescenta a associação. “Temos noção de que impactamos [o PIB] de formas indiretas, e também temos a noção de que o impactamos de formas diretas”, rematou António Casanova, num encontro com jornalistas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Publicidade vale mais de 1% do PIB. Cada euro investido gerou quatro euros para a economia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião