Procuraram-no à porta de casa em nome da ERSE? É fraude

  • Guilherme Monteiro
  • 1 Fevereiro 2019

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos lançou um alerta aos consumidores onde lembra que não vende energia, nem os procura em casa.

Alguém o procurou à porta de casa, se identificou como colaborador da ERSE (Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos) e lhe pediu para mostrar a fatura de eletricidade, gás natural ou mesmo os dados pessoais com a promessa de baixar o valor da fatura a pagar? Trata-se de fraude, alerta o regulador.

O aviso parte da própria ERSE que, ainda esta sexta-feira, voltou a emitir um comunicado para chamar a atenção para a “angariação de clientes de forma abusiva”.

A entidade reguladora avisa que não vende energia, nem procura os consumidores em casa para analisar contadores ou faturas recebidas, lembrando que “é uma entidade pública e só comunica diretamente com os consumidores que antes a tenham contactado”.

No entanto, para o caso de ser abordado nestas circunstâncias, a ERSE deixa duas principais recomendações: a primeira é exigir um documento de identificação com fotografia da pessoa que o abordar; a segunda é não revelar qualquer dado pessoal.

A entidade reguladora esclarece que o aviso pretende sugerir aos consumidores a melhor forma de agirem quando confrontados com situações de fraude. Uma iniciativa que, explica o regulador, se insere nas “funções da ERSE, designadamente de monitorização e supervisão dos mercados de energia”.

Comentários ({{ total }})

Procuraram-no à porta de casa em nome da ERSE? É fraude

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião