Obras no Porto de Leixões já arrancaram. Vão custar 43 milhões

  • Lusa
  • 7 Fevereiro 2019

A reconversão do terminal de contentores sul do Porto de Leixões, em Matosinhos, arrancaram esta quinta e deverão estar prontas em 2021. O objetivo é aliviar o congestionamento do terminal.

A reconversão do terminal de contentores sul do Porto de Leixões, em Matosinhos, arranca esta quinta-feira e deverá estar concluída em março de 2021, depois de um investimento de 43,4 milhões de euros por parte da Yilport.

A empreitada visa a extensão da plataforma, aumento da área de operação, repavimentação e aquisição de novos equipamentos, adiantou à Lusa fonte da empresa. O objetivo é aliviar o congestionamento do terminal, aumentar a capacidade total do contentor, operar da maneira mais produtiva e económica e permitir mais projetos de desenvolvimento, como a implementação da Navis e o controle remoto para automação supervisionada.

O estudo de impacte ambiental concluiu que os efeitos que possa ter são “benéficos”, nomeadamente ao nível da melhoria das condições técnicas operacionais e ambientais nos procedimentos e gestão. Em 2021, o Porto de Leixões terá maior capacidade de movimentação de contentores, passando de 450 mil TEU (medida-padrão utilizada para calcular o volume de um contentor) para cerca de 600 mil TEU.

A Yilport vai ainda desenvolver o Terminal Norte, que está prestes a “chegar ao fim da sua vida útil” e que tem já “algumas limitações”, em duas fases distintas. A primeira fase contempla o avanço do cais, expansão e desenvolvimento da área da marina e mudança da marina privada para área protegida na Foz do Porto e, a segunda, a construção de um novo cais.

Este investimento aumentará a capacidade do Terminal Norte de 150.000 TEU para 400.000 num primeiro momento e para 1.000.000 num segundo momento. “Esta expansão permitirá que todas as embarcações que fazem escalas noutros portos (como em Vigo, por exemplo), regressem ao local onde a carga é fabricada/produzida e forneçam uma resposta para a crescente procura do mercado”, explicou.

A Yilport entende que “qualquer projeto” para o desenvolvimento do Porto deve levar em conta o futuro do Terminal Norte, sem condicionar a sua expansão. “Uma solução global para o Terminal Norte é fundamental para a economia regional e nacional”, frisou.

A Yilport é o 12.º maior operador portuário do mundo e o segundo maior europeu. Atualmente opera em nove países, nomeadamente na Turquia, Suécia, Noruega, Malta, Espanha, Portugal, Peru, Equador e Guatemala e, em breve, irá instalar-se também em Itália e EUA.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Obras no Porto de Leixões já arrancaram. Vão custar 43 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião