Fim da greve dos estivadores acelerou exportações em dezembro. Cresceram 5,3% no total de 2018

O fim da greve dos estivadores do Porto de Setúbal em meados de dezembro serviu de motor para as exportações no último mês do ano. De acordo com o INE, as exportações crescerem 7,3% naquele mês.

O fim da greve dos estivadores do Porto de Setúbal em meados de dezembro serviu de motor para as exportações no último mês do ano. De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), as exportações de bens aceleraram 7,3%, em dezembro. No acumulado do ano, cresceram 5,3%, aquém de 2017.

“Em dezembro de 2018, as exportações de bens registaram uma variação homóloga nominal de +7,3%, correspondendo a uma significativa aceleração face ao mês anterior (-7,0% em novembro de 2018), destacando-se o acréscimo de material de transporte, maioritariamente de Automóveis para transporte de passageiros, em 26,8% (contributo de +4,1 p.p. para a taxa de variação homóloga)”, especifica o gabinete público de estatísticas.

O aumento de quase 27% das exportações associadas ao setor automóvel coincide com o fim da greve dos estivadores do Porto de Setúbal a 14 de dezembro que permitiu escoar os veículos da fábrica da Autoeuropa cuja saída do país estava bloqueada, tendo assim sido determinante para o crescimento registado nas exportações de bens nacionais no último mês do ano.

Se as exportações aumentaram em dezembro, as importações nacionais cresceram ainda mais, conduzindo a um agravamento do défice da balança comercial portuguesa. “As importações aumentaram 7,5% (+12,8% em novembro de 2018), com o material de transporte a registar um aumento de 22,0% (contributo de +3,4 p.p. para a taxa de variação homóloga), em resultado principalmente da aquisição de outro material de transporte e partes, peças separadas e acessórios (maioritariamente aviões e suas partes)”, dá nota o INE relativamente ao último mês do ano.

Em resultado disso, o défice da balança comercial de bens totalizou 1.615 milhões de euros em dezembro de 2018, mais 122 milhões de euros que no mês homólogo de 2017. Excluindo os combustíveis e lubrificantes, o saldo da balança comercial foi negativo em 1.300 milhões de euros, correspondente a um aumento do défice de 114 milhões de euros em relação a dezembro de 2017.

Exportações e importações desaceleram em 2018. Balança degrada-se

A divulgação dos dados relativos a dezembro permitem fazer o balanço da evolução do comércio internacional para a totalidade do ano de 2018. E o saldo aponta para uma desaceleração do ritmo de crescimento das exportações e das importações, mas com a balança comercial a degradar-se.

Evolução anual das exportações e importações

Fonte: INE

“No conjunto do ano de 2018 as exportações aumentaram 5,3% em relação ao ano anterior, o que representa uma desaceleração face ao acréscimo de 10,0% verificado em 2017. As importações cresceram 8,0% em 2018, correspondendo igualmente a uma desaceleração relativamente ao crescimento de 13,1% registado em 2017″, precisa o INE.

Perante este cenário, “o défice da balança comercial atingiu 17.130 milhões de euros em 2018, o que representa um aumento de 2.670 milhões de euros face ao ano anterior“.

(Notícia atualizada às 11h29 com mais informação)

Comentários ({{ total }})

Fim da greve dos estivadores acelerou exportações em dezembro. Cresceram 5,3% no total de 2018

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião